14/04/2017

Links do Mês #03 - Março (2017)


Mais um mês terminou (e esse já está na metade, haha!), e é bizarro pensar no quanto esse ano está passando rápido! Quero dizer, já falta menos de um mês pro meu aniversário, e ainda não estou sabendo lidar! Enfim, março foi um mês muito corrido e intenso, mas também com muita coisa legal! E eu estou aqui pra compartilhá-las - pelo menos algumas delas - com vocês! Espero que curtam!

Posts

1. 30 sonhos que realizei antes dos 30 no Karol Pinheiro
Não é novidade que eu admiro muito a Karol, e ler esse post me deixou feliz, porque é legal ver as conquistas daquela pessoa que a gente gosta, e é mais legal ainda saber que você acompanhou todo o processo - e que fez parte de tudo isso, de algum jeito.

2. Restaurar cabelos danificados: as cagadas e mudanças que fiz nos fios! no Julie de Batom
Adoro aqueles blogs com posts bem pessoais, daqueles de compartilhar experiências mesmo - boas e ruins. Os posts do Julie de Batom são nesse estilo, então sempre que a Julie posta algo novo, eu tô lá pra ler - e nesse mês, aproveitei pra compartilhar com vocês aqui também!

Amo fotos de casal, amo Nova York e amo pedidos de casamento. Então não tinha como esse post não estar aqui na lista!

Comecei a quinta temporada de Mad Men em março, e a série já está garantindo um espaço no meu coração como uma das melhores da vida! Eu sempre me questionei se alguma marca presente na série não iria usar na vida real as campanhas incríveis que eles fazem, então vocês já podem imaginar minha alegria quando vi esse meu "desejo" virar realidade, hehe!

Um compartilhamento de uma arte que me inspirou - e que de quebra me trouxe muita indicação literária!

Março é o mês da mulher e uma série de blogs e plataformas aproveitaram a época para debater assuntos importantes acerca da mulher na sociedade. Esse post do BuzzFeed é um dos exemplos perfeitos dessa discussão, mostrando a disparidade entre os gêneros na literatura de uma forma bem didática.

Aproveitando essa vibe, o Depois dos Quinze também postou sobre o tema no mês que passou, e eu acho super legal de compartilhar, principalmente porque é importante ver blogs com um alcance tão enorme usarem seus espaços para falar sobre o feminismo, e incentivar as meninas a serem o que elas quiserem.

E ainda nesse movimento, a Capricho fez uma série de posts e reportagens sobre girl power dignos de comentários e compartilhamentos ao longo de todo o mês de março. Esse foi um dos meus favoritos! Arrasa, Capricho!

O Clube dos Cinco é um dos filmes que eu mais amo e é legal ver toda a história por trás da sua produção - e como ele continua real, 33 anos depois do lançamento. Esse texto foi uma maneira incrível de homenagear o John Hughes e toda a sua obra que mexeu com sua geração (e ainda conquista muitos e muitos corações por aí).

10. Vão roubar sua vaga no UOL
Alguém do meu facebook compartilhou esse texto e eu acho muito justo compartilhá-lo aqui também, já que ele está diretamente ligado com a minha realidade, pelo menos nesse ano, e é simplesmente muito real. Vale a leitura.

Vídeos

1. A música Cold, do Maroon 5


Eu sempre vou ser fãzoca do Maroon 5, não importa o tempo que passe. E aí eu acho que não dava pra curtir mais a banda e eles vão lá e lançam uma música dessas. Meu coração não aguenta!

2. O sexismo no cinema, do Pipocando (e Lully!)


O Pipocando e o Lully de Verdade são dois canais que fazem um trabalho incrível, e eu tô sempre lá vendo os vídeos novos deles. Esse vídeo, em especial, além de juntar o melhor desses dois mundos, traz um assunto muito importante de ser discutido. que é o sexismo na indústria cinematográfica. É debatendo sobre o assunto que nós conseguiremos, um dia, reverter esse quadro!

3. minhas manhãs, da heydebee


Acompanho a Debee desde o comecinho do seu blog - e ela tá sempre aqui comentando nos posts novos! Quando ela começou o canal, fiquei muito muito muito animada pra ver o conteúdo que seria feito, já que tudo que ela postava era sempre com amor. E posso dizer que o canal não é diferente disso! Todo o sucesso do mundo pra ti, Debee!

4. Social Media Detox, do New Age Creators


Conheci esse canal pelo twitter da Debee e fiquei vidrada nele! O canal é super incrível pelo formato e conteúdo dos vídeos, pelos temas semanais e pela colaboração de cinco pessoas ao redor do mundo, que junto, fazem o canal ser muito muito único. E esse vídeo é só um dos tantos que me deixaram apaixonada pelo canal! <3

5. TWIN PEAKS | 5 motivos pra ver!, da Carol Moreira


Eu já tinha recebido algumas recomendações dos vídeos da Carol Moreira, mas só parei pra ver no mês passado e pirei no conteúdo que ela produz! Nem preciso dizer que, depois desse vídeo, Twin Peaks garantiu espaço na minha lista (interminável) de séries pra ver, né?
E é isso, galeris! Espero que tenham curtido! Adoro saber se os links ajudaram vocês de alguma maneira! E mês que vem tem mais posts e vídeos super especiais! <3

28/03/2017

Diário do Roacutan #02 - Primeiro mês

Já faz pouco mais de um mês que eu liberei esse post aqui no blog, e desde então, tenho muita coisa pra contar. Pra quem não sabe, iniciei o meu tratamento com o Roacutan no mês passado, e cá estou eu neste momento para compartilhar sobre como foi o processo ao longo desse primeiro mês.
Esse remédio é estritamente controlado e muito forte, portanto, você só pode tomá-lo com indicação e acompanhamento médico. Se você acha que o Roacutan pode resolver a sua questão com a acne, consulte um especialista, e então ele - e somente ele - poderá te dizer qual é a melhor forma de tratamento para o seu caso. Esse post não é nenhum tipo de apologia ou incentivo ao uso desse medicamento, é apenas um compartilhamento (de forma leiga e bem pessoal) da minha experiência com o Roacutan.
Iniciei o tratamento no dia 12 de fevereiro, e confesso que já comecei meio receosa porque não sabia em quanto tempo os efeitos colaterais apareciam - e como eles iriam aparecer. Eu nem precisei esperar tanto; em três dias, comecei a sentir um dos efeitos colaterais mais comuns, que é a boca beeeeem seca. Desde então, tenho levado meu protetor labial pra todos os lugares em que vou.

Ao longo da primeira semana, também senti a pele mais seca e sensível, e aos poucos criei uma rotina para cuidar do rosto e do corpo, com o hidratante corporal, o creme facial e o protetor solar. Esse processo está sendo bem importante pra mim, porque dedicando esse tempinho todos os dias para me cuidar, acabo relaxando, trabalhando a autoestima e me motivando pra continuar com todo esse processo. :)

Dos efeitos mais chatinhos, tive bastante dor de cabeça ao longo das primeiras semanas, e logo no fim desse primeiro mês, fiquei com muita dor nas costas também, que permaneceu por uns 15 dias. Agora já estou bem melhor desses dois efeitos, mas a pele e a boca seca permanecem (haja protetor! hahah).

Agora, vamos às partes boas: minha pele já teve melhoras. Sério. Fiquei surpresa com a diferença quando comparei as minhas fotos desse mês e do post passado. Ela está mais lisa, mais macia (isso também se dá pela rotina de cuidados e tal), e as marquinhas também estão mais claras. Nasceram uma ou duas espinhas nesse mês, mas elas eram menos inflamadas e cicatrizaram de uma maneira bem mais tranquila. Aqui estão as fotos desse mês - novamente, sem nenhuma edição! Ah, e minhas costas também obtiveram essa mesma melhora!








É válido dizer que todo esse efeito de pele/lábio seco também se aplica ao cabelo. Eu, particularmente, estou feliz com isso, já que meu cabelo era muito oleoso e agora está bem mais tranquilo de cuidar, não tendo que lavá-lo praticamente todos os dias. 

Quanto aos exames, só tive um aumento no meu colesterol, mas a dermatologista disse que não era algo tão gritante a ponto de diminuir ou interromper o tratamento. Continuo com a dose de 40mg/dia, e com o mesmo tempo de tratamento estimado em 6 meses. Já faz quase duas semanas que eu fiz o retorno na médica, então espero que o colesterol tenha pelo menos abaixado um pouco, e que o próximo post venha com (mais) boas notícias!
Esse foi o Diário desse mês! Eu tô curtindo muito registrar toda essa experiência aqui no blog, espero que vocês também estejam! Esse post demorou mais do que eu imaginava pra ser postado, maaaaas já tô em processo de organização pra isso. Até o próximo post, e obrigada pelo apoio! <3

18/03/2017

Links do Mês #02 - Fevereiro (2017)


Yaaaaay, nem dá pra acreditar como o mês de fevereiro passou rápido. Nesse tempo teve feriadão, teve Oscar, teve ingresso do Ed Sheeran e teve muito link legal pra compartilhar aqui com vocês! Já vou aproveitar pra dizer que amei fazer esse tipo de post no blog - e amei ainda mais a recepção positiva que vocês mostraram! Prometo dar o meu máximo a cada mês pra trazer links e vídeos legais para inspirá-los da mesma maneira em que fui inspirada! Então, acompanha aqui a lista desse último mês!

Posts

1. Um desabafo sobre textos e blogagem no Eterna Aprendiz
Amo o blog da Débs há tempos, então sou suspeita pra falar. Mas esse post realmente descreveu tudo o que eu penso sobre o assunto: em muitos momentos, a gente pensa um milhão de vezes antes de postar algo porque aquela perguntinha chata aparece na nossa cabeça - "será que vai dar visualizações?". E isso é realmente tão importante assim? Arrasou, Débs!

2. Os perigos da valorização da beleza natural no Modices
Esse texto me fez refletir muito sobre o assunto "beleza natural". É engraçado como estão passando a incentivar a beleza natural em diversos aspectos - mas ela vem carregada, infelizmente, com mais um padrão: o de que a beleza natural só pode ser valorizada se estiver dentro de uma concepção de "perfeição". Bizarro pensar nisso, não é?

3. Listona com os 339 livros que Rory leu em ‘Gilmore Girls’ no Catraca Livre
Confesso que não sei nada de Gilmore Girls, mas a série já ganhou milhões de pontos no meu coração por essa lista de livros incrível! Não sei se conseguirei algum dia cumpri-la - mas já arranjei o incentivo perfeito para, pelo menos, voltar aos meus hábitos de leitura!

4. Apropriação cultural é um problema do sistema, não de indivíduos no AzMina
O tema da apropriação cultural foi muito discutido no facebook nessas últimas semanas. Entre um textão e outro, acabei vendo no Twitter um texto que compartilhava exatamente o que eu acho do assunto. Vale a leitura!

5. Look: macacão, camisa de poás e mule no O Mundo de Jess
Tem como não morrer de amores por esse look? No post do mês passado, acabei compartilhando dois links do "O Mundo de Jess" e queria não repetir muito os blogs, mas é impossível não se apaixonar pelas fotos da blogueira!

6. Why Typography Matters — Especially At The Oscars no Medium
Há três semanas, a premiação mais conhecida do Cinema teve uma gafe digna de filme de drama: a troca de envelopes fez La La Land ser anunciado como melhor filme, sendo que o verdadeiro vencedor era Moonlight. Esse post fez um estudo super legal sobre um fator importantíssimo nesse erro: a tipografia dos envelopes. Nem preciso dizer que amei o post, né?

7. 15 Ensinamentos do Caminho de Santiago no Onze Dias
Não é segredo que o meu maior sonho é viajar pelo mundo e ter experiências pra marcar a minha vida inteira. Uma delas é fazer o Caminho de Santiago de Compostela, e esse post só me fez ficar com mais vontade de realizar esse sonho!

8. Garota dá aula de amor próprio com ‘antes e depois’ no Instagram na Capricho
Posts da Capricho? Amo. Posts sobre amor próprio na Capricho? Amo mais ainda! Nem tenho muito o que falar sobre ele. Só leiam o post, por favor <3

9. Um pouco mais de paciência no Amanda Arruda
Achei o blog da Amanda procurando algumas experiências com o Roacutan, e acabei esbarrando nesse texto maravilhoso. Era tudo o que eu precisava ler!

10. Johnny Depp, Casey Affleck e como Hollywood protege a cultura do assédio no Collant Sem Decote
Lá vem outra polêmica do Oscar desse ano: Casey Affleck levou o Oscar de melhor ator, pelo seu papel em "Manchester by the Sea". Tá, isso seria super válido se o ator não tivesse sido acusado de assédio sexual por mais de uma profissional com quem ele trabalhou ao longo dos últimos anos. O post faz uma reflexão ótima sobre o tema no contexto de Hollywood - e como isso está se tornando cada vez mais alarmante.

Vídeos

1. 100 days without fear | Michelle Poler | TEDxHouston, do TEDx Talks


Vi a história da Michelle Poler rolando no facebook e fiquei muito muito curiosa com o projeto dela. A estudante teve que fazer um projeto de 100 dias para a sua faculdade de Artes Visuais, e ele teria que refleti-la da maneira mais sincera possível. E Michelle foi muito corajosa ao fazer com que seu projeto fosse sobre seus medos - e sobre como superá-los. A palestra foi o medo número 100 a ser cumprido, e adivinhem: foi a maneira mais sensacional de encerrar essa iniciativa tão incrível!

2. Transição capilar - o que mudou até aqui #3, do Depois dos Quinze


A Bruna é uma dessas blogueiras que eu tenho como "amiga": acompanhei tanta coisa legal que foi compartilhada no blog e no canal Depois dos Quinze, que me sinto íntima ao falar dela hahah! Estou adorando vê-la falar sobre sua transição capilar, e espero que ela lance cada vez mais vídeos sobre o assunto!

3. It feels like spring, da Zoella




Voltei a ver os vídeos da Zoella há um tempo e o meu amor pelo trabalho dela voltou com força total. Adoro ver gente apaixonada pelo trabalho, pelo lugar onde mora, pela vida que tem. Simples assim.

4. dear media - response to hate articles on YouTubers, da doddlevloggle


A Dodie já apareceu no post do mês passado, mas não tinha como não compartilhar esse vídeo! Ela fala bem rapidinho sobre as mais diversas coisas e iniciativas positivas os Youtubers fazem e promovem, nas quais a mídia deveria se focar ao invés de tentar deslegitimar um trabalho que requer tanta dedicação. Falou tudo!

5. FAVORITOS #4, da Melina Souza


Já amo os vídeos de favoritos do mês. Já amo os vídeos da Melina. Então nem tem como não gostar da Melina falando sobre seus últimos favoritos, hahah!
E esse foi o post de hoje, galera! Espero que tenham gostado! Demorei pra postar por causa dos trabalhos do colégio e do TCC, mas já tô me organizando pra postar mais! Espero que entendam! Até o próximo post! :)

14/02/2017

Diário do Roacutan #01 - Por que comecei a tomar?

O post de hoje é bem pessoal. Já deixo aqui o meu alerta de textão, porque não está sendo fácil falar mais abertamente sobre esse ponto da minha vidinha, mas como o blog é, antes de mais nada, um grande espaço para o compartilhamento de experiências, nada mais justo do que escrever - e desabafar - sobre uma questão dessas, meio life changing. Senta que lá vem história.

Desde quando comecei a menstruar, com 12 anos de idade, a acne tem sido um problema. A minha pele já é sensível, mas com toda essa mudança que ocorre no corpo nessa fase, ela passou a ter muita oleosidade, e por consequência, os cravos e espinhas começaram a aparecer com certa frequência. O meu rosto, por incrível que pareça, era o menos "castigado" - meus ombros e costas lotaram de espinhas. Elas eram inflamadas, muitas vezes internas, e deixavam minha pele marcada quando estouravam. Os cravinhos eram fundos e também deixavam marcas quando eu tirava.

Depois de aproximadamente um ano nessa situação (com a pele na mesma e minha auto estima tendo altos e baixos), minha mãe resolveu me levar ao dermatologista. Ele me recomendou um sabonete, dois cremes para o rosto e um protetor solar de uso diário. Eles secavam as espinhas, mas a pele ainda inflamava, as marcas continuavam e a frequência era a mesma. Lembro-me de ter ido a mais um ou dois médicos, que me passaram também cremes, pomadas e sabonetes específicos (não lembro o nome de nenhum desses produtos, já que faz muito tempo que eu os usei), mas nada aparentava ter muito resultado. Vez ou outra, eu ainda testava alguns desses produtos de farmácia, como o Acnase ou os da marca Asepxia. Novamente, nenhum deles fazia algo além de secar as espinhas que eu já tinha.

Eu acabei tendo que aprender a lidar com a acne, mas confesso que em certas épocas, era realmente muito complicado não deixar que a auto estima fosse lá pra baixo. Aí, em julho do ano passado, eu comecei a tomar o anticoncepcional Selene, com o objetivo de amenizar minhas espinhas, por recomendação do meu ginecologista. Foi o que mais funcionou pra mim. Perdi grande parte da inflamação nas costas e no rosto, e a acne era bem menos grossa. Porém, mais uma vez, a melhora estagnou, e minha pele continuou com cravos e espinhas, com uma frequência variada.

Nesse ano, então, resolvi que era hora de resolver de vez essa questão e marquei consulta com outra dermatologista, logo na primeira semana de janeiro. Depois de contar todo esse processo pra ela, a possibilidade de tomar o Roacutan me foi apresentada.
Pra quem não conhece, o Roacutan é o nome comercial da isotretinoína, um remédio que age nas glândulas sebáceas para diminuir a produção de sebo, e na inibição de bactérias responsáveis pela inflamação da pele e pelo surgimento de espinhas. (Fonte)
A minha mãe e eu conhecíamos pouquíssimo do remédio, então todas as informações sobre ele nos foram dadas (desde a dosagem indicada para mim até os efeitos colaterais). Conversei com a minha mãe sobre o assunto, e como esse tratamento parecia ser o mais eficiente entre todos os que eu já havia feito, decidi começar. Fiz então os exames de sangue pedidos (o medicamento é muito forte e afeta o corpo de diversas maneiras), e como estava tudo normal, comecei a tomar o remédio. Além disso, comprei vários produtos de pele pra me ajudarem nesse processo (um dos efeitos colaterais é o ressecamento da pele e dos lábios, então comprei hidratante e protetor labial pro resto da vida hahaha).

Essas são algumas fotos do meu rosto hoje, dia 14, totalmente sem edição (também tenho acne nas costas, mas não me sinto confortável em expô-la, espero que entendam!):







Comecei a tomar o remédio no domingo, dia 12 de fevereiro, e estou bem positiva quanto aos seus resultados. A minha dose é de 40 mg/dia, com tempo de tratamento estimado em 6 meses, e espero postar mensalmente sobre o meu progresso com o Roacutan, contando tudo - desde as melhoras/pioras que senti até os efeitos do remédio no meu organismo.

Ah, e vale lembrar que esse remédio é estritamente controlado e muito forte, portanto, você só pode tomá-lo com indicação e acompanhamento médico. Se você acha que o Roacutan pode resolver a sua questão com a acne, consulte um especialista, e então ele - e somente ele - poderá te dizer qual é a melhor forma de tratamento para o seu caso. Esse post não é nenhum tipo de apologia ou incentivo ao uso desse medicamento, é apenas um compartilhamento (de forma leiga e bem pessoal) da minha experiência com o Roacutan.
E vocês? Alguém já fez o tratamento com o Roacutan e tem experiências pra compartilhar? Qualquer história é bem-vinda! <3 

07/02/2017

Links do Mês #01 - Janeiro (2017)



Janeiro já chegou chegando. Teve filme incrível no cinema, teve livro ótimo lido nas férias, teve música boa sendo lançada... e teve muito post e vídeo digno de ser compartilhado. Então, nada melhor do que juntar tudo de maravilhoso que vi na internet ao longo do mês em um post mega especial, não é mesmo? Tem texto reflexivo, post com dicas, clipe musical e lista de metas - enfim, conteúdo pra todos os gostos! Agora é só aproveitar a seleção - e quem sabe, adicionar um desses links nos seus favoritos!

Posts

1. “Enteadas” e “lésbicas”: a relação entre pornografia e violência e por que achamos isso normal no Medium
Uma ótima reflexão sobre a cultura da pornografia que está presente no nosso país, e como isso afeta diretamente a nossa visão sobre o que é violento - e perpetuado de geração pra geração.

2. De Marília Mendonça a Dayse Paparoto: O feminismo espantalho no The Huffington Post
Ao mesmo tempo em que o feminismo tem sido muito mais discutido nos últimos tempos, a distorção de seus reais objetivos e lutas - bem como das pessoas que o defendem - também cresceu. Esse texto faz uma ótima explicação sobre a visão distorcida que muitas mulheres têm em relação ao movimento, e o porquê de, muitas vezes, figuras que representam o feminismo acabam por negá-lo.

3. 6 livros para transformar 2017 em um ano melhor no Serendipity
Há umas semanas voltei a acompanhar assiduamente o blog da Mel, e confesso que estou muito feliz com isso! Esses livros indicados por ela me fizeram ficar muito animada com 2017!

4. Precisamos ser inteiras antes de sermos a metade de alguém no CONTI Outra
Muitas vezes, a gente acaba achando que o único propósito de nossa vida é ter alguém ao nosso lado. Porém, esquecemos que, antes de nos transbordarmos com alguém, devemos nos completar, ser inteiros à nossa maneira, para assim, podermos estar em paz com outra pessoa :)

5. 40 coisas incríveis que você provavelmente não sabia sobre a Emma Stone no BuzzFeed
Quem aí também ficou ainda mais apaixonada pela Emma Stone depois de assistir a La La Land? Pois é, e se você acha que não dá pra gostar mais da atriz, veja esse post! A Emma consegue ser ainda mais incrível do que imaginávamos!

6. 10 coisas pra fazer sua segunda-feira ser seu dia favorito na semana no Like Paradise
A gente não percebe, mas é só chegar o domingo que a depressão por ser um dia pré-segunda já aparece pra nos sugar toda a animação de começar mais uma semana. Esse post me ajudou muito a ver a segunda-feira (e o domingo!) como mais um dia incrível pra aproveitar!

7. Minhas metas para 2017 no O Mundo de Jess
Eu já seguia o perfil da Jess no Instagram, mas nunca havia parado pra entrar no blog dela. Fiquei apaixonada! Esse post me deixou muito motivada pra listar (e cumprir!) minhas metas desse ano.

8. Calendários 2017 para baixar e imprimir no O Mundo de Jess
Outro post da Jess que me ajudou muito! Já imprimi o meu calendário favorito e agora ele faz parte do meu mural!

9. 11 séries e documentários para assistir nas férias no Guia do Estudante
Tirei um tempo das minhas férias pra me dedicar mais a séries e documentários - e confesso que não me arrependo! Com essa lista, minha empolgação pra ver produções desses gêneros só aumentou.

10. Dicas para economizar dinheiro em 2017 no Meninices da Vida
Eu tô com um planos pra juntar um dinheirinho nesse ano, e esse post me ajudou muito a ter uma visão melhor de como correr atrás dessa meta!

Vídeos

1. O clipe de Shape Of You, do Ed Sheeran


Quem aqui também surtou com a volta do Ed Sheeran? O cantor ruivo mais talentoso desse planeta lançou no comecinho de janeiro não só um, mas dois singles incríveis! Shape Of You foi o meu favorito - e agora é só tocar essa música que eu já saio por aí cantando! Estou louca pra ouvir o álbum inteiro!

2. why I love la la land SO MUCH, da doddlevloggle


Passei um bom tempo das férias fuçando no YouTube atrás de canais gringos que me interessassem, e acabei encontrando o trabalho da doodlevloggle. Ela, que além de ter um canal só pros seus (maravilhosos) covers, produz um conteúdo muito divertido de assistir. Esse vídeo, em especial, me representa muito quando o assunto é La La Land. Ah, e amei tanto o filme que estou pensando em fazer um post só sobre ele aqui no blog, o que acham?

3. A Second A Day for a Year, da Morgan Yates



Acabei achando esse vídeo por acaso (nessas sugestões ao lado do vídeo a que você assiste, sabe?) e fiquei encantada pela produção! É sempre legal poder fazer uma retrospectiva do ano que passou, e poder perceber o quanto de coisa legal aconteceu com a gente, e no quanto nós temos a agradecer por esses 365 dias!

4. É sobre escalar e sentir que o caminho te fortaleceu ♥, da Priscila Carvalho
 


Acompanho o canal da Pri (e o blog dela) há um tempo, e amo ver o conteúdo que ela produz sobre o seu intercâmbio na Irlanda. Vê-la falar sobre o quanto amadureceu nesse processo me deixou muito emocionada - e sonhando com a oportunidade de ter uma experiência dessas na vida!

5. Coisas que aprendi com a vida, da Louie Ponto


Se tem alguém que me encantou totalmente com o conteúdo que produz, essa pessoa foi Louie Ponto. Ela expõe em seu canal o seu ponto de vista sobre assuntos muito pertinentes, de uma maneira clara e leve, e juro que cada vídeo dela me inspirou de uma maneira inacredítável. Esse, em especial, me fez refletir sobre o que eu aprendi até agora, e sobre o que ainda tenho a amadurecer (seja na cabeça ou no coração).
E esse foi o post de hoje, espero que tenham gostado! Contem aí nos comentários: quais foram os seus links favoritos de janeiro? Ah, e quero saber se vocês gostaram desse formato de post! Se sim, prometo que no mês que vem vai ter mais! <3

23/01/2017

Para assistir: Amy



Fico feliz em dizer que, aos poucos, estou abrindo a minha mente em relação aos meus gostos. Tipo, é incrível quanta coisa boa a gente perde por simplesmente sustentar ideias erradas sobre algum filme, estilo musical, ou seriado, por exemplo. Com essa minha paixão absurda por cinema, eu venho assistindo a muitos outros diretores e gêneros fora da minha zona de conforto. Um exemplo disso são os documentários. Por não se basearem na ficção ou contarem com plot twists bem bolados, eu confesso que achava esse gênero entediante, até começar a ver alguns sobre temas que me interessavam. Um deles foi Amy – e eu juro, o efeito que esse filme teve sobre mim foi tão inacreditável, que eu decidi dedicar um post no blog especialmente pra ele. Querem saber mais sobre o longa?

Sinopse: Ainda adolescente, Amy Winehouse já demonstrava para a família o talento vocal que possuía. Aos 18 anos ela já fazia shows na Inglaterra e, com o tempo, passou a ganhar fama. O sucesso do álbum "Back to Black" a tornou uma celebridade mundial, mas também fez com que seus problemas com álcool e drogas aumentassem exponencialmente.


Como vocês viram, o filme conta sobre a vida de Amy Winehouse. Embora eu conhecesse muito do trabalho dela, nunca me identifiquei com o estilo de música que ela cantava. De uns tempos pra cá, pra minha surpresa, ela virou uma das minhas cantoras favoritas, então assim que vi o documentário na Netflix, corri para assistir.

Amy era uma garota incrível, e não digo isso só pelo talento inegável – ela tinha uma alma poderosa. Sua visão de mundo era simples e muito sensível: ela só queria escrever sobre aquilo que passava em seu coração e compartilhar com o mundo através da música. Sua criação foi meio complicada, com o pai ausente e o divórcio de seus pais quando tinha nove anos de idade, o que acentuou ainda mais sua introspecção, e de certo modo, sua personalidade marcada pela rebeldia. Tudo isso, claro, transpareceu na sua música, o estilo marcado pelo jazz e pelas letras bem pessoais.

O filme foca muito na personalidade de Amy e na sua relação consigo mesma e com as pessoas à sua volta. Ele não deixa de falar de seu trabalho como cantora – que chegou ao auge rapidamente e foi se destruindo na mesma velocidade –, mas é interessante ver como Amy não se resumia a isso: ela também tinha altos e baixos, paixões devastadoras e acima de tudo, uma enorme vontade de viver fazendo aquilo que ama.

Contando a história a partir dos amigos, melhores amigas, empresários, produtores e outras pessoas que, de alguma forma, tiveram um papel importante na vida de Amy, o documentário projeta uma imagem até então desconhecida por muitas pessoas da cantora: uma mulher incrivelmente frágil, que teve seus sonhos e vontades engolidos pelo mundo.



O que mais me fascinou foi a abordagem de duas marcas na vida da cantora: o romance tóxico com Blake Fielder-Civil, responsável pelas seus momentos sombrios intimamente ligados às recaídas em relação à bebida e posteriormente, às drogas (que ele apresentou a ela), e  sua relação íntima com a música, e como tiraram isso dela. Amy sempre deixou claro que só queria cantar, porém o mundo mostrou-se cruel demais e acabou não só tirando a essência do trabalho dela, como destruindo todos os motivos felizes e motivações que a faziam continuar nessa jornada. No fundo, ela só tinha um pedido simples ao mundo, que não soube respondê-lo com afeto.

Recheado de depoimentos pessoais, vídeos caseiros e fotos de tabloides, a produção permite que, em seus 128 minutos de duração, você abra os olhos não só para admirar o trabalho de Amy, como entender que o mundo pode ser muito mais cruel do que a gente imagina. Ela foi uma vítima perfeita do efeito catastrófico que a mídia desesperada, a fama prematura e as pessoas erradas podem causar em uma pessoa que só queria expressar aquilo que sente, sem a necessidade de julgamentos.

Nota final: ★★★★★ (5/5)


Espero que tenham gostado da resenha, galera! Confesso que fiquei bem emotiva escrevendo esse post! Agora contem aí nos comentários: já viram o filme? Se sim, o que acharam? Vocês têm algum documentário legal pra me indicar? Sugestões são sempre bem-vindas!
 

16/01/2017

3 joguinhos pra você ter no seu celular!

Imagem de iphone, rainbow, and apple

Sei que não estou sozinha quando digo que o celular é um vício. Ficar sem mexer nesse aparelhinho por muito tempo já se mostrou uma ideia fora de cogitação, haha. Nele, eu divido meu tempo entrando nas mais diversas redes sociais e perdendo horas entre uma fase e outra de joguinhos simples de raciocínio. Pensando nisso, e aproveitando o tédio que aparece de vez em quando, resolvi indicar pra vocês três jogos para celular que são meus atuais vícios! Querem ver as dicas?

1010



Sempre fui viciada em Tetris, e em qualquer joguinho de quebra-cabeça com esse mesmo princípio de encaixar formas. Então, é óbvio que eu fiquei vidrada no 1010 logo que comecei a jogar. Ele parte da ideia de juntar blocos pra formar linhas, verticais e horizontais, em um quadro de 10x10. A cada rodada, três peças são selecionadas, e você precisa encaixá-las da maneira mais estratégica possível, de modo a fazer pontos e garantir espaço para os blocos seguintes. É muito viciante!

Two Dots


A ideia de ligar pontos de cores iguais não parece muito emocionante ou complexa, né? Pois essa frase não se aplica ao jogo Two Dots! Como uma variação do Dots, esse aplicativo de liga-pontos apresenta, a cada fase, um objetivo muito específico – seja ele juntar um número de pontos de determinada cor, ou até mesmo eliminar âncoras que aparecem entre os pontos -, aumentando o nível de complexidade a cada estágio superado. Quando você perceber, vai ter gastado um número incontável de horas tentando passar de uma fase, haha!

Color Switch



Esse é o meu atual jogo favorito! Em Color Switch, você precisa passar uma bolinha por obstáculos coloridos, atravessando-os em uma cor específica. Pode até não parecer muito complicado, mas experimente fazer isso enquanto tenta equilibrar a bolinha, que muda de cor a cada obstáculo ultrapassado. Loucura, não é? Além do modo clássico, há outras modalidades de jogo, igualmente viciantes. Não dá pra jogar uma vez só!

Ah, e o mais legal de tudo isso é que os três estão disponíveis para download, de graça, na Apple Store e no Google Play. Tá esperando o que pra baixar? 
Essas foram as indicações do post de hoje! E vocês: gostaram? Em quais joguinhos vocês são viciados? Conta aí nos comentários, quem sabe eu não fico vidrada em mais um aplicativo, hein?

11/01/2017

Trilha sonora de 2016

Imagem de indie and the beatles
Fonte: We Heart It
Se teve uma coisa que eu fiz em 2016, essa coisa foi ouvir música. Não que esse hábito estivesse fora da minha rotina nos outros anos, mas 2016 com certeza foi o ano em que, unido ao Spotify e às indicações maravilhosas de amigos, eu mais me permiti ouvir coisas novas. A lista vai desde bandas brasileiras de rock até cantores indie, e claro, muito deles também serviram como trilha sonora para momentos desse ano que acabou de passar. Então, eu separei as 10 músicas mais especiais e juntei tudo em uma mini playlist muito muito muito a minha cara! Vamos ouvir?

1. Despedida – Selvagens À Procura de Lei


Caaaaara, se eu tivesse que escolher uma banda pra 2016, com certeza seria Selvagens À Procura de Lei. Eles são de Fortaleza e possuem um som maravilhoso, sério! Essa é uma das faixas mais famosas do grupo – e também uma das minhas preferidas!

2. Dança Diferente – Maglore


Tá aí uma banda que passou a morar no meu coração esse ano: Maglore! Eu já os conhecia, por terem feito o show de abertura do Muse lá em 2015, mas foi só no ano passado que eu parei pra ouvi-los com atenção – e me apaixonar por eles! As letras deles são maravilhosas, e poder ouvi-las ao vivo (de novo) no Sesc Bom Retiro foi ainda mais especial. Ah, e tive a oportunidade de conhecê-los depois do show! Tem como não amar?

3. Rebel Rebel – David Bowie


O David Bowie era um artista que eu conhecia pouquíssimo, mas depois da morte dele, resolvi que era hora de ouvir o seu trabalho. E que trabalho fantástico! Rebel Rebel acabou virando uma das minhas músicas favoritas do artista!

4. Relicário – Nando Reis e Cássia Eller


Ah, Nando! Ele é o meu cantor nacional favorito, e eu já pude ouvi-lo ao vivo uma vez, também em 2015. Já em 2016, eu pude ir a mais um show dele, com um amigo, mas o mais especial dessa música nem é relacionado a esse momento; Relicário foi a canção que eu cantei junto com um amigo meu em um evento do colégio. Foi uma experiência maravilhosa!

5. O Mais Clichê – Vivendo do Ócio


Mais uma descoberta nacional desse ano! Essa música me traz muitas lembranças boas e me faz lembrar que ainda tem muito artista bom brasileiro pra eu conhecer – e pra indicar aqui no blog ;)

6. You Know I’m No Good – Amy Winehouse


A Amy virou uma das minhas artistas favoritas da vida nesse ano! Depois que eu assisti ao documentário dela, pude me apaixonar pela pessoa que ela era e pelo trabalho que ela fazia. Essa é umas das faixas que eu mais amo!

7. Diamond Heart – Lady Gaga


Olha a volta da Lady Gaga aí, gente! Eu não ouvia tanto a cantora, mas depois que ela lançou o Joanne, bastou escutar a primeira faixa para saber: nossa diva do pop está de volta – e mais forte do que nunca!

8. Cheater – The Vamps


Não seria uma playlist minha se não tivesse uma boyband hahaha! Ouço The Vamps há um tempo, mas no ano passado, a banda veio para o país em seu primeiro show em solo brasileiro. Infelizmente, eu não pude ir, mas o amor pela banda só aumentou!

9. Rollercoaster – Bleachers


Aqui vem uma indicação fofinha, que descobri no ano passado: Bleachers é um projeto muito legal feito pelo Jack Antonoff, um dos membros da banda Fun. (aquela que canta We Are Young!). Incrível, né? Essa música é maravilhosa pra se ouvir naqueles dias bem alto-astral!

10. Treat You Better – Shawn Mendes


E pra completar: a música mais ouvida do meu Spotify – e possivelmente da minha vida hahaha! Eu acompanho o trabalho do Shawn desde os seus covers no YouTube e no Vine, e vê-lo lançando o seu segundo álbum – tão incrível quanto o primeiro – me deixa com aquele orgulho de fã, sabe? É muito legal ver gente talentosa sendo reconhecida pelo trabalho!

Que 2017 nos traga muitos momentos mágicos – e muita música boa de trilha sonora! :)
Espero que tenham gostado do post! Comentem aí: qual foi a trilha sonora do 2016 de vocês! Aceito indicações, viu?

05/01/2017

3 anos de Aquela Malu

Imagem de aesthetic, holiday, and life

Já tô perdendo as contas de quantas vezes eu tentei escrever esse post. Não porque o tema é difícil (na verdade, sei que seu começar a escrever, vai ser difícil parar), mas sim pelo fato de nenhuma frase parecer apropriada o bastante. Então eu vou abrir o coração e deixar a palavra mais sincera como o "começo" desse post: obrigada.

Nunca fui uma pessoa muito constante. Se eu parar pra pensar, consigo ver que meus gostos e interesses começam e terminam nos mesmos pontos: eu começo a gostar de algo, fico obcecada e, do mesmo jeito que o interesse aparece, ele vai embora. Foi assim com músicas, artistas, autores, blogueiras, programas de TV e filmes, e era até difícil pensar que algum assunto seria um ponto fora da curva. E então, há exatos 3 anos, veio o blog pra quebrar toda essa constância.

O Aquela Malu não é o meu primeiro blog, mas acho que eu nunca senti um carinho tão grande por uma página minha na internet do que o que sinto por esse espacinho aqui. Aprendi muito com os meus outros blogs, e fico feliz de ver o quanto aqui me faz bem. Nem consigo imaginar que eu passei uns meses meio ~sem rumo~, que terminaram no dia 05 de janeiro de 2014. Loucura (e clichê) perceber o quanto o tempo passou - e quanta coisa boa eu aprendi, dentro e fora do blog.

Sei que a minha responsabilidade como blogueira ficou em segundo plano muitas vezes aqui no blog, com frequência de postagens e comentários bem inconstante, mas olhando tudo em seu conjunto, vejo que ele sempre foi uma representação de mim, desse jeitinho: com um ritmo meio maluco e com prioridades que vão mudando e se atualizando sem aviso prévio. Na verdade, eu acho que a vida é muito disso, né? Muita coisa acontece sem a gente prever então cabe a nós trabalhar com o que nos foi dado. O blog não ocupa 100% da minha cabeça, mas fico feliz de dizer que muitos planos meus estão sendo formados e traçados, e ter um espaço para compartilhá-los - seja o seu processo em si ou a concretização de um deles - é muito legal!

Então, agradeço a todos aqueles que me deram a oportunidade de voltar - e permanecer! - nesse ambiente que tanto amo. Gente que comenta, que me cobra post novo, que elogia alguma publicação daqui do Aquela Malu (lendo assim, até parece que é muita gente, mas pra mim, qualquer manifestação de carinho conta!). Manter um blog é complicado, e muitas coisas aparecem no caminho para nos desanimar, mas há muita coisa boa no fim de tudo. Escrever é um ato de coragem, e compartilhar, muitas vezes, parece loucura.

Ainda bem que eu não sou tão sã assim :)


02/01/2017

16 coisas que aprendi em 2016

Imagem de 2017, new year, and gold
Fonte: We Heart It
Finalmente nós podemos dizer: 2017 chegou! Pois é, acredito que a maioria deve concordar quando digo que 2016 foi um ano pesado. Muita coisa ruim aconteceu, muitas pessoas incríveis nos deixaram, mas também posso dizer que, pessoalmente, tive pontos ótimos nesse ano que se encerrou: eu consegui um estágio incrível, mantive minhas notas em uma média muito boa e conheci pessoas maravilhosas no meu colégio. E acima de tudo, em todo esse processo de retrospectiva e reflexão, percebi que o ano de 2016 me trouxe muito aprendizado. Para não deixá-los passarem batido aqui no blog, e como uma forma de incentivo pra esse novo ano que acabou de chegar, resolvi listar algumas das maiores coisas que aprendi durante 2016. Espero que gostem :)

1. Amizades verdadeiras sobrevivem a qualquer coisa. Inclusive à distância. Quem quer se falar, quer se encontrar, sempre arranja um jeito.

2. Chorar e sentir-se impotente não é sinônimo de fraqueza. Ninguém é obrigado a (e acho que ninguém consegue) ser forte o tempo todo. O importante é nunca desistir.

3. Nenhum sonho é menor que o outro. E está tudo bem se alguns sonhos não se concretizam ou não parecem tão incríveis depois de um tempo, e acabam surgindo outros. Ninguém mantém os mesmíssimos planos por toda a vida.

4. Ser fiel a você mesma é a melhor coisa que você pode fazer quando tudo está meio bagunçado.

5. Nada de tão importante acontece na vida das pessoas que seja necessário ficar com o celular na mão e com todas as redes sociais abertas o dia inteiro. Sério.

6. Aliás, as redes sociais dizem pouquíssimo da realidade dos outros. Isso quer dizer que as pessoas só postam aquilo que querem que os outros saibam, e que a realidade dos outros é bem diferente da minha. Então nada de ficar se comparando. A minha (e a sua) vida é muito boa pra ficar sendo espelhada com quem quer que esteja postando uma foto bonita no Instagram.

7. A única coisa que não podem tirar de mim é o meu aprendizado. Então não tem problema nenhum priorizar os estudos. Ou pesquisar faculdades. Ou se envolver demais com o curso técnico (tudo isso, claro, preservando minha saúde física e mental).

8. Eu sou muito privilegiada por ter as coisas que tenho, estudar onde estudo, aprender o que aprendo. Mas isso não significa esperar que as coisas caiam do céu. Se eu ainda quero conquistar muita coisa que parece fora do meu alcance, eu preciso correr atrás disso.

9. Não custa nada ser gentil e educado com os outros.

10. Esse item pode soar bem ~good vibes~, mas é a mais pura verdade: negatividade é sim contagiosa, e não tá com nada. Olhar as situações com um ponto de vista mais positivo, sempre buscando absorver algo de bom dela é muito melhor. Pra você e pros outros.

Imagem de girl, hair, and beauty

11. Ter-se como prioridade não é egoísmo. É um ato de amor-próprio.

12. Muitas coisas que acontecem na vida não são justas. Mas cabe a nós trabalhar ao máximo com o que nos foi dado.

13. Se aproximar de alguém que está longe é muito mais fácil do que se imagina. E isso começa largando o orgulho e mandando um "oi" pelo whatsapp. Sempre funciona.

14. Não existe arrependimento ou decepção em ser quem você é. E quem quer que te fale o contrário, está errado.

15. A existência da beleza ou talento de alguém não significa a ausência da sua/seu.

16. As coisas sempre acabam bem. Se não está tudo certo, é porque não é o fim.     
Espero que o 2017 de vocês seja incrível, e que ele traga a todos nós muito amor, paz, união, e força para corrermos atrás dos nossos sonhos. Feliz Ano-Novo! <3