14/03/2016

Sobre o Dia Da Mulher, feminismo e sororidade



O feminismo é com certeza a pauta que eu mais quero comentar aqui no blog, porém fiquei com um pé atrás durante muito tempo. Antes, achava que era por conta do fato de eu não saber tanto sobre o assunto, mas percebi que era pelo medo do julgamento das pessoas ao saberem que eu sou feminista. E olhem só: esse medo é justamente o que me fez vir aqui e começar esse texto; é só batendo de frente que eu vou conseguir realmente ver e expressar a importância do assunto. Já aviso que o post vai ser longo.

Não cresci em um ambiente livre de machismo (e acho que ninguém cresceu). As desculpas de que devia fazer x e falar y "porque eu era menina" nunca entraram na cabeça dessa garota que hoje vos escreve. A inveja da liberdade do irmão e o questionamento de por que a vida dos meninos com quem eu convivia parecia muito mais fácil eram alguns dos motivos pelos quais eu sempre me perguntei o que havia de errado comigo.

"Você é muito inteligente pra uma garota"
"Você não pode porque é menina"
"Senta como uma mocinha"
"Menina tem que ser educada"
"Como assim não quer ter filhos?"

Eu poderia passar horas listando essas frases.

Conforme fui crescendo, percebi que o problema não afetava só a mim, mas sim todas as mulheres, como um todo. Nos diminuem como pessoas, e nos colocam em uma posição onde precisamos dos homens e odiamos as mulheres à nossa volta. "Não há nada pra questionar; é assim e ponto". Limitam nossa visão, e achamos errado se vislumbramos o horizonte; será que tem algo além dele?

Eu queria, com todas as minhas forças, acreditar que eu não estava sozinha. E eu não estou.



O Dia da Mulher veio como lembrança dessa luta contra as correntes que nos prendem. Em 8 de março de 1857, trabalhadores de uma indústria têxtil de Nova York fizeram greve por melhores condições de trabalho e igualdades de direitos trabalhistas para as mulheres, que foi reprimida fortemente. Mas foi em 25 de março de 1911 que ocorreu o que muitos consideram o marco do Dia da Mulher: o incêndio em uma fábrica têxtil em NY que resultou na morte de cerca de 125 operárias.

O que muitos transformam em um dia de "eu nunca me dei ao trabalho de respeitá-la, mas toma aqui uma rosa", eu vejo como uma marca que todas nós carregamos: se há um Dia da Mulher, o resto dos dias continuam sendo dos homens. E nós não temos que aceitar isso; é aí que o feminismo entra.

O feminismo entra para nos lembrar que: nós devemos ter o direito de escolha sobre o nosso corpo; nós não temos que nos encaixar em padrão estético/comportamental nenhum; nós podemos seguir em qualquer área no mercado de trabalho e devemos ganhar o mesmo que os homens de mesmo cargo; o estupro nunca é nossa culpa; a cantada é uma forma de assédio intolerável, e incômodo que ela causa não é "coisa da nossa cabeça"; as outras mulheres não são inimigas; não há nada de errado em não ter o casamento ou a maternidade como meta pessoal; não devemos aceitar a objetificação que sofremos pela mídia e disseminada por muitos homens; e acima de tudo, a união faz a força.

Não merecemos respeito por aguentar andar de salto, menstruar, ou conciliar o trabalho com a vida maternal (?). Merecemos respeito por sermos - podem ficar chocados - pessoas.

Que o Dia da Mulher tenha sido uma lembrança, uma cicatriz de toda a luta que passamos e de tudo aquilo que s mulheres antes de nós enfrentaram para conquistar aquilo que temos. Mas que também tenha sido um incentivo a nunca pararmos de lutar - ainda temos muita coisa pra conquistar.

"As mulheres são como as águas: crescem quando se encontram".

06/03/2016

Oscar 2016: os melhores momentos da premiação!



Já faz um tempinho que eu perdi o pique para virar fins de semana assistindo às premiações que rolam por todo o mundo, mas tem algumas que ainda são minhas queridinhas, e uma delas é o Oscar. Embora ele não seja exatamente sinônimo de qualidade ou justiça na indústria cinematográfica, querendo ou não, o prêmio ainda significa muito quando se trata de nomear os destaques do cinema naquele ano.

No ano passado, não pude ver a premiação, mas nesse ano, nem mesmo o horário e as 10 aulas do dia seguinte me impediram de ver a entrega do prêmio mais conhecido do cinema. E cá estou eu,  no post de hoje, numerando os meus cinco momentos favoritos da premiação. Espero que gostem!

1. Chris Rock como apresentador


Logo depois que anunciaram os indicados no começo do ano, o Oscar se viu lidando com uma discussão que já deveria ter sido levantada há muito tempo: o racismo na indústria cinematográfica. Embora o problema não esteja exatamente no Oscar, a ausência de atores negros indicados ao prêmio só reflete a ausência de papéis negros na indústria, e nesse ano, essa pauta foi levantada entre o público. O papel de discutir o tema ficou com o Chris Rock, o apresentador da noite, que não perdeu a oportunidade (na medida do possível, claro) de alfinetar e satirizar a questão que, há muito tempo, é só mais um reflexo da desigualdade presente não só na indústria do entretenimento, como no mundo. Arrasou!

2. Os droides de Star Wars


O filme mais recente da queridíssima saga Star Wars foi indicado a 5 Oscars e quem marcou presença na premiação foram os droides R2-D2, C-3PO e BB8. Com o bom humor característico deles, C-3PO já chegou falando - demais, por sinal! -, dando bronca no R2-D2 e elogiando John Williams, o responsável pela trilha sonora do filme. Os droides arrancaram risada de todos, mas dava pra ver que Jacob Tremblay, de "O Quarto de Jack", foi quem ficou mais encantado por eles! Muito fofo!

3. A apresentação de Lady Gaga




Não há como negar que esse ano será da Lady Gaga. A cantora, que já ganhou um Globo de Ouro pelo seu papel em American Horror Story, foi indicada à Melhor Canção Original pela música "Til It Happens To You", e se apresentou na premiação. E que performance foi aquela, gente do céu! A composição, que aborda o tema do abuso sexual, já ficou comovente só com a voz e o piano, porém, quando as vítimas de abuso entraram no palco de mãos dadas, formando uma incrível corrente, foi impossível controlar a emoção! A música pode não ter ganhado o Oscar, mas com certeza cumpriu seu papel ao emocionar muita gente!

4. Os agradecimentos de Ennio Morricone


Uma das surpresas mais agradáveis da noite foi com certeza a vitória - inédita! - do italiano Ennio Morricone, na categoria Melhor Trilha Sonora. O nome pode soar estranho pra muita gente, mas não se enganem: Morricone coleciona mais de 450 composições em seus 87 anos de vida, e ganhou o prêmio depois de sua sexta indicação. Ele dedicou o Oscar à sua mulher e ficou emocionado ao agradecer à Academia pela honra de receber a estatueta. Amei demais!

5. A vitória do Leonardo DiCaprio


Só de lembrar desse momento, fico toda emocionada! Não é novidade que o Leonardo DiCaprio é o meu ator favorito e um dos maiores amores da minha vida, confesso. O ator, que havia sido indicado quatro vezes e não levou o prêmio em nenhuma delas, teve sua quinta indicação pelo filme O Regresso, e mais uma vez, era visto como o favorito da noite.

Depois de três horas de premiação, sua categoria foi anunciada, e assim que seu nome foi dito pela Julianne Moore, eu podia jurar que o mundo ia explodir, hehe! Ele, que nunca fez questão de prêmios e se mostrou muito surpreso em finalmente ter seu merecido Oscar em mãos, agradeceu à toda produção do filme, aos diretores que o ajudaram a ser o ator que é hoje, aos seus pais e amigos. Mas não ficou só por isso não! Ele aproveitou também para alertar os espectadores sobre a mudança climática que vem assolando o planeta, e o quanto nós devemos encará-la com seriedade, apoiando vozes guiadas pela vontade de mudar, e não pela ganância. Ovacionado por toda a plateia, a cereja do bolo foi com certeza a reação da Kate Winslet ao ver o Leo finalmente recebendo o prêmio. Não sei se irei superar tão cedo!
E esse foi o post de hoje, gente! Espero que tenham gostado! Contem aí nos comentários: viram o Oscar? Se sim, o que acharam? Também surtaram com a vitória do Leo? Demorei para postar por conta da semana de prova/entrega de trabalhos, mas já tô voltando à ativa! \o/