07/02/2016

Para assistir: O Regresso



O Oscar desse ano está chegando, e mais uma vez, nosso queridíssimo Leonardo DiCaprio está indicado à categoria de Melhor Ator. O filme que tornou essa indicação possível, O Regresso, estreou aqui no Brasil na última quinta-feira, 04/02, e é claro que eu não iria perder a oportunidade de ver um trabalho do meu ator favorito no cinema, não é? Pois bem, na sexta, fui assistir ao filme com meu irmão, e fiquei tão encantada pela produção que achei mega válido fazer um post especial sobre o longa aqui no blog! Espero que gostem!

O Regresso é ambientado em 1822, onde Hugh Glass (Leonardo DiCaprio) é um explorador que, junto com seu grupo, ganha dinheiro caçando e vendendo peles. Porém, ao ser atacado por um urso, é deixado para morrer por um membro de seu grupo de expedição, John Fitzgerald (Tom Hardy). Enfrentando condições inóspitas, Glass fará de tudo para vencer sua luta pela sobrevivência e realizar sua vingança.

Embora eu tenha visto esse filme há dois dias, não sei como tirá-lo da cabeça, muito menos como começar a escrever sobre ele. Então nada mais justo do que dizer: que filme! Uma obra-prima, que com certeza será difícil de esquecer - e superar. Independentemente do número de estatuetas que levará no Oscar, o longa certamente será comentado por muito tempo.


Como comentários iniciais, posso dizer que o filme retrata muito mais do que vingança. É a sede de vida, é a superação diária, é o sentimento humano sendo levado a extremos em cada cena e acontecimento. E o carro-chefe dessa emoção toda é Leonardo DiCaprio. Com diversos trabalhos excepcionais em sua carreira, eu pessoalmente achava difícil vê-lo atingir um patamar mais alto. Ainda bem que eu estava errada! Sua atuação, na maior parte do filme, é não-verbal, o que deixa explícito a competência do ator e os conflitos que seu personagem enfrentava no momento. Perdi a conta de quantas vezes prendi a minha respiração, ou fiquei com meus olhos cheios d'água por me sentir parte daquele ambiente, e acima de tudo, daquela luta.

Não posso desmerecer também o incrível Tom Hardy, que me levou à um nível de loucura - compreensível, por sinal - ao ser um personagem incrivelmente intenso, e ainda sim, humano. Um vilão muito bem construído, com seus motivos e ambições.

Visualmente, o filme já carrega o status de obra de arte sem muito esforço. Sendo filmado no Canadá, as cenas de pura contemplação dos rios, árvores, céu, neve, noite e dia me fizeram imergir em uma experiência quase lifechanging. Unindo os elementos únicos da fotografia, figurino, trilha sonora e montagem, temos um trabalho belíssimo que podemos simplesmente admirar durante seus 156 minutos de duração.


Mas quem tornou tudo isso possível foi, sem sombra de dúvida, o impecável diretor Alejandro G. Iñárritu. Ressurgido das cinzas com seu trabalho premiado "Birdman", pouquíssimos achavam possível o diretor emplacar mais uma obra de unânime excelência logo no ano seguinte. Pois bem, eis que ele resolve nos surpreender com esse trabalho denso, profundo e de tirar o fôlego. Sua direção conta com diversos planos-sequência (outro ponto incrível), e o ritmo diferente, cheio de picos de emoção e momentos de contemplação, traz uma carga enorme de questionamentos sobre vingança e a luta pela sobrevivência. 

Acho válido citar que o filme não trata os índios norte-americanos e os exploradores como exclusivamente vilões e heróis, ou vice-versa. Assim como eles, somos todos membros de algo maior, sem o controle de tudo, movidos por sentimentos, ambições e além disso, o desejo de fazer de nossas vidas algo extraordinário. Vale a pena ver não só por uma experiência visual, mas como uma reflexão pessoal. Leo DiCaprio estava certo em dizer que assistir ao filme era uma experiência única!

Nota final: ★★★★★ (5/5)


Espero que tenham gostado do post! Já assistiram o filme? Se sim, o que acharam? Se ainda não viram, ficaram curiosos? Qual filme que está concorrendo ao Oscar que você está louco pra ver? Deixa aí nos comentários!

Um comentário:

  1. Olá, Malu.
    O filme parece ter recebido uma atenção especial dos produtores, tanto pelo elenco qualificado quanto pela qualidade de imagem. Além disso, a premissa é muito boa. Com certeza vou querer conferir o filme.
    Excelente dica.

    Desbrava(dores) de livros - Participe do top comentarista de fevereiro. Serão dois vencedores!

    ResponderExcluir