22/07/2015

Eu fui: Virada Cultural 2015



Dia desses, limpando as fotos do celular, eu vi quanta coisa legal aconteceu comigo e eu não compartilhei aqui no blog. Fiquei naquele dilema "posto ou não posto" de sempre, mas tomei logo a decisão e vou liberar alguns posts contando sobre os lugares que eu fui, os filmes que eu assisti e tudo o que eu associei e adquiri nesse tempo, okay? E pra começar essa "série" de posts do melhor jeito possível, resolvi escrever sobre a Virada Cultural 2015 daqui de São Paulo.

No dia 21 de Junho (domingo), acordei por volta das 8h30 pra pegar carona com a minha tia até o metrô. Junto com ela, minha mãe e meu irmão, descemos na estação da Luz e andamos até a Sala São Paulo, o lugar da apresentação de diversas orquestras. Cheguei pouco depois das 10h e já tinha fila, porém andou super rápido e consegui pegar os ingressos.



Eu nunca tinha ido na Sala São Paulo, e confesso que fiquei boquiaberta com o lugar, sério! É maravilhoso, de tirar o fôlego. Não sei bem exatamente descrevê-lo; era rico em detalhes e carregava muita história em cada canto que eu ia.

Esperei o horário da apresentação da Orquestra chegar mais perto, e então entrei. Não fazia ideia de onde eu iria sentar, e pra minha surpresa, fiquei colada ao "palco". Não demorou muito para que as instruções do lugar fossem dada, os músicos entrassem, seguidos do maestro, e a primeira composição começasse. Meu coração acompanhava cada um dos números apresentados, era bem difícil conter a emoção. Saí de lá totalmente encantada, e com uma experiência que vai permanecer comigo por muito tempo.

A Sala São Paulo fica na Praça Júlio Prestes, local onde estava montado o palco em que Nando Reis iria se apresentar. Quando cheguei lá, o show já havia começado e tinha realmente muita gente. Eu fiquei do lado do palco, mas consegui vê-lo, e ouvi umas cinco músicas antes de sair do meio do pessoal (até aquele momento, eu estava sendo esmagada). Me afastei do palco, mas ainda consegui ouvir o show inteiro. E o melhor de tudo: lá perto tinha alguns foodtrucks, então eu fui comer enquanto ouvia "Por Onde Andei". Foi tão bom!



Devia ser por volta das 14h quando eu fui para o Metrô pra voltar pra casa. Já estava morta, mas ainda tinha show d'O Terno, pertinho de casa! Dessa vez fui sozinha; minha mãe me deixou na praça perto do Centro Cultural e eu andei até o local. Peguei o ingresso e entrei na fila que estava curta.

Já havia passado uns 10 minutos do horário marcado para o início do show e nada de nos deixarem entrar. Foi então que eu olhei para o lado e vi a banda passando bem pertinho de mim, foi tão legal haha! Por volta das 17h30 (meia hora depois do horário previsto), abriram o teatro e eu entrei, sentando na segunda fileira, bem pertinho do palco.

Logo a banda entrou e eu aproveitei do início ao fim. Eu não conhecia alguma das músicas, mas sempre me surpreendia com tudo que eu ouvia. Por estarem poucas pessoas, me senti bem próxima da banda, e isso fez toda diferença. Na última música, "Zé, Assassino Compulsivo", todo mundo levantou e foi pra pertinho do palco.  E esse foi o melhor jeito de fechar o dia!
E vocês, foram na Virada Cultural desse ano? Se sim, o que acharam? Já tiveram um dia repleto de experiências novas? Conta aí nos comentários!

Nenhum comentário:

Postar um comentário