22/07/2015

Eu fui: Virada Cultural 2015



Dia desses, limpando as fotos do celular, eu vi quanta coisa legal aconteceu comigo e eu não compartilhei aqui no blog. Fiquei naquele dilema "posto ou não posto" de sempre, mas tomei logo a decisão e vou liberar alguns posts contando sobre os lugares que eu fui, os filmes que eu assisti e tudo o que eu associei e adquiri nesse tempo, okay? E pra começar essa "série" de posts do melhor jeito possível, resolvi escrever sobre a Virada Cultural 2015 daqui de São Paulo.

No dia 21 de Junho (domingo), acordei por volta das 8h30 pra pegar carona com a minha tia até o metrô. Junto com ela, minha mãe e meu irmão, descemos na estação da Luz e andamos até a Sala São Paulo, o lugar da apresentação de diversas orquestras. Cheguei pouco depois das 10h e já tinha fila, porém andou super rápido e consegui pegar os ingressos.



Eu nunca tinha ido na Sala São Paulo, e confesso que fiquei boquiaberta com o lugar, sério! É maravilhoso, de tirar o fôlego. Não sei bem exatamente descrevê-lo; era rico em detalhes e carregava muita história em cada canto que eu ia.

Esperei o horário da apresentação da Orquestra chegar mais perto, e então entrei. Não fazia ideia de onde eu iria sentar, e pra minha surpresa, fiquei colada ao "palco". Não demorou muito para que as instruções do lugar fossem dada, os músicos entrassem, seguidos do maestro, e a primeira composição começasse. Meu coração acompanhava cada um dos números apresentados, era bem difícil conter a emoção. Saí de lá totalmente encantada, e com uma experiência que vai permanecer comigo por muito tempo.

A Sala São Paulo fica na Praça Júlio Prestes, local onde estava montado o palco em que Nando Reis iria se apresentar. Quando cheguei lá, o show já havia começado e tinha realmente muita gente. Eu fiquei do lado do palco, mas consegui vê-lo, e ouvi umas cinco músicas antes de sair do meio do pessoal (até aquele momento, eu estava sendo esmagada). Me afastei do palco, mas ainda consegui ouvir o show inteiro. E o melhor de tudo: lá perto tinha alguns foodtrucks, então eu fui comer enquanto ouvia "Por Onde Andei". Foi tão bom!



Devia ser por volta das 14h quando eu fui para o Metrô pra voltar pra casa. Já estava morta, mas ainda tinha show d'O Terno, pertinho de casa! Dessa vez fui sozinha; minha mãe me deixou na praça perto do Centro Cultural e eu andei até o local. Peguei o ingresso e entrei na fila que estava curta.

Já havia passado uns 10 minutos do horário marcado para o início do show e nada de nos deixarem entrar. Foi então que eu olhei para o lado e vi a banda passando bem pertinho de mim, foi tão legal haha! Por volta das 17h30 (meia hora depois do horário previsto), abriram o teatro e eu entrei, sentando na segunda fileira, bem pertinho do palco.

Logo a banda entrou e eu aproveitei do início ao fim. Eu não conhecia alguma das músicas, mas sempre me surpreendia com tudo que eu ouvia. Por estarem poucas pessoas, me senti bem próxima da banda, e isso fez toda diferença. Na última música, "Zé, Assassino Compulsivo", todo mundo levantou e foi pra pertinho do palco.  E esse foi o melhor jeito de fechar o dia!
E vocês, foram na Virada Cultural desse ano? Se sim, o que acharam? Já tiveram um dia repleto de experiências novas? Conta aí nos comentários!

15/07/2015

Sobre 15 anos e pessoas especiais

Jade's Virtual Dream | via Tumblr

Há dois meses, completei 15 anos de vida. Pra quem não sabe, eu amo fazer aniversário. Amo mesmo. Aquela fase de amar qualquer data comemorativa por conta dos presentes já passou, mas a "magia" do meu cinco de maio continua comigo, mesmo eu crescendo e tendo outras prioridades na cabeça.

Completar uma década e meia de vida me trouxe aquele famoso dilema que muitas meninas enfrentam, o tal do festa ou viagem. Nunca fui uma pessoa fã de ser o centro das atenções, e nem possuía condições pra bancar uma festa gigantesca dessas; além do mais, viajar é um dos meus maiores sonhos. A escolha estava clara.

Eu planejei junto com o meu irmão um intercâmbio para as férias de julho, na Inglaterra, em uma dessas cidades pequenas que fazem você se sentir a verdadeira moradora do lugar. Acontece que nem tudo está no nosso controle. Alguns planos nossos não dão certo e a gente tem que lidar com isso, é fato. Não seria dessa vez que eu iria viajar. Claro que eu fiquei chateada, mas acredito que tudo vem no tempo certo, e estou fazendo um bom uso das minhas férias aqui em São Paulo mesmo haha.

Já que a primeira opção estava fora da jogada, resolvi pensar na tal festa. Não seria nada daquelas mega festas de debutante, mas eu queria passar esse tempo com as minhas amigas, tanto as do colégio antigo quanto as do meu colégio atual.

Untitled

E parece que, foi só eu ter essa ideia na cabeça, pra uma sucessão de fatos (com as amigas, sem as amigas e comigo mesma) acontecer e eu acabar sem qualquer opção pra comemorar o meu aniversário, a menos de três semanas da data.

Aí rola todo aquele drama que vocês já devem imaginar que eu faço, né. Foi então que a ideia mais óbvia, porém mais maravilhosa apareceu: e se eu esquecesse um pouco todo esse lance de querer fazer algo gigantesco e passar essa data com as pessoas que estavam comigo antes de toda a confusão começar? E então, no dia 09 de maio, eu saí pra jantar em uma cantina italiana no Brás, um bairro daqui de São Paulo. Olha: foi maravilhoso! Estava apenas minha família mesmo, nada de muito elaborado, mas com certeza foi uma noite memorável (não só pela comida haha). Passar uma data tão especial ao lado das pessoas que me amam foi algo realmente marcante, e eu com certeza não poderia pedir por algo melhor que isso.

Sabe, a gente costuma achar que, pra celebrarmos uma data especial, precisamos de coisas grandiosas e milhares de pessoas à nossa volta. Mas no fim de tudo, são as pessoas que realmente fazem com que esse dia seja incrível - não só esse, como todos os dias da nossa vida. Por isso, se por algum motivo, seus planos de fazer algo grandioso em um dia de comemoração não deram certo, não desanime: passe esse tempo com as pessoas que você ama. Pode ser pra sair pro shopping, passar a tarde no parque ou simplesmente cantar parabéns depois de uma mega maratona de Friends. Qualquer momento ao lado de pessoas tão incríveis como você é sempre especial.

E não há festa ou viagem no mundo que os substitua.
Esse foi o post de hoje! Espero que tenham gostado! Logo depois do meu aniversário, eu escrevi a base desse post, mas nunca consegui deixá-lo do jeito que eu queria, até que a inspiração chegou e eu consegui terminar haha! E vocês, já viveram uma situação parecida? Como vocês costumam passar os seus aniversários? Comentem! 

10/07/2015

Noventa e cinco



Se existe um troféu para a pessoa mais atrapalhada do mundo, eu com certeza ganharia.

Depois dessa frase dramática, só me resta dizer: como eu estava sentindo falta de postar. Sério gente, vocês não medem! Já fazem 95 dias desde que o último post foi publicado aqui, e com eles, pude fazer muito mais coisa do que eu imaginava ser possível. Os motivos de ausência são os mesmos: falta de tempo (ou a falta de administração dele, ainda não sei), falta de inspiração, e a preguiça básica de sempre. Poderia escrever mais um texto sobre tudo isso, mas preferi fazer um resumo de tudo aquilo de mais sensacional que aconteceu nesses três meses pra vocês. Espero que gostem!



Em abril, tive dois momentos marcantes: um deles foi pintar o meu cabelo! Pois é, pra quem não sabe, eu já tive reflexos rosa (!!), feitos lá pro meio de janeiro. Depois desbotou, ficou meio ruivo, e aí a saudade bateu e resolvi fazer o mesmo, só que usando o tom vermelho. Confesso que demorei um pouco pra me acostumar, mas já tô sentindo falta daquela maluquice que eu fiz haha!

Nesse mês, eu dei uma de turista por São Paulo - e por lugares pertinho do meu colégio! - pra fazer dois trabalhos pra aula de Fotografia, sendo um deles o relatório de uma exposição da Pinacoteca e outro, a revelação das fotos da Pinhole (assunto pra outro post!). Esse foi um daqueles momentos em que eu me vi totalmente apaixonada: pela cidade, pelo curso e por todas as oportunidades que estão surgindo no meu caminho.



Ah, maio! Foi época do meu aniversário, e da primeira festa com as minhas amigas do novo colégio. Pra comemorar meus 15 anos, acabei saindo apenas com a minha família, e olha: foi maravilhoso! A gente marcou de jantar em uma tradicional cantina italiana, e quase saí rolando de tanto gnocchi que comi, socorro! Ganhei alguns presentes - um mais especial que o outro -, mas só de receber tanto amor e carinho das pessoas que me veem todos os dias, de mês em mês, ou que apesar da distância, continuam falando comigo, foi o que realmente contou no fim do dia.

E não muito tempo depois, teve festa de 15 da minha amiga do colégio. Gente, não lembro de uma noite onde eu ri e dancei tanto! Embora eu conhecesse poucas pessoas além da aniversariante, não teve nenhuma desculpa pra eu não passar a festa inteira conversando, depois cantando e dançando as músicas mais aleatórias que tocavam. Aproveitei demais <3



Aí junho chegou, e com ele, além das provas e entregas de trabalho, veio um dos meus eventos favoritos: a Festa Junina! Fui à festa do meu colégio antigo e a do Liceu, e nas duas encontrei gente querida e me empanturrei de comida (fala sério, comida de festa junina é um negócio maravilhoso!). Aí, no penúltimo fim de semana do mês, teve Virada Cultural, com direito a Orquestra Sinfônica de São Paulo, showzinho do Nando Reis e no fim da tarde, O Terno, tudo de graça! Tem como não amar essa cidade?
O post ficou bem longuinho, mas eu queria resumir esses três meses pra vocês! Houve idas ao cinema, visitas a museus que nunca fui, passeios pela Paulista, mas esses foram meus eventos favoritos! Espero que tenham gostado do post! "Aquela Malu" tá de volta, e agora é pra ficar!