11/01/2015

Riso frouxo


Levantei da cama. Como de costume, enxaguei o rosto com a água gelada da torneira. Ao levantar a cabeça, dei de cara com o espelho. Meu reflexo. Ali estava a minha projeção, pelo menos por fora. A cara lavada, as olheiras aparentes. Nada que eu não estivesse acostumada a ver. Mas eu precisava mudar algo. Talvez o cabelo preso, um batom rosa. Não. Em vez disso, apenas sorri. Um sorriso contagiante, de orelha a orelha, sincero. Lindo.

Entrei no quarto, e abri a janela. A luz do sol, ainda fraca, já entrava pelo meu quarto. Tirei tudo da minha frente que pudesse prejudicar meu campo de visão. Roupas largadas, cobertor embolado. Um lugar limpo me transmitia conforto.

Um banho quente e uma seleção de músicas animadas. Foi tudo o que eu precisei pra que eu me sentisse bem o suficiente e dançasse no quarto. A porta estava escancarada, como um convite aberto para qualquer um que quisesse entrar. Permiti-me sentir cada traço do meu corpo, mover-me com cada nota da canção que inundava o meu quarto de boas vibrações. Não pensei em como me achariam idiota se me vissem nesse estado, nem em como uma terça-feira geralmente não começa desse jeito. Estava leve, plena, solta. Estava tão eu.

Como qualquer boa playlist, encerrou no tempo perfeito. Então, vesti aquela saia longa maravilhosa que eu comprei de uma hippie simpática em uma dessas feiras que me fazem perder a noção do tempo. Normalmente, eu a deixaria no fundo do armário, com receio de ouvir - mais uma vez - aquele discurso monótono de "você não combina com esse tipo de roupa" ou "essa cor não te valoriza" e até mesmo "ficaria melhor em outra pessoa". Dane-se. Hoje, eu me sinto linda.

Saio de casa com o celular e o fone de ouvido devidamente guardados na bolsa, e com o dinheiro contado pra comprar aquele sonho fresquinho. Aceno para a velhinha do outro lado da rua, dou "bom dia" para o padeiro e sorrio com a menina simpática do caixa. Ao pôr os pés para fora da padaria, percebo que não tenho um rumo certo. Dou risada com isso.

Sabe, por muitas manhãs eu me permiti levar pelos bad days que eu enfrentava vez ou outra. Mas percebi que nunca é tarde pra ter um dia bom. Quem faz o dia ser o melhor de sua vida é única e exclusivamente você. Por isso, sorria, dance e aproveite a luz do sol que te convida pra mais um dia. Deixe-se levar por aquilo que te faz bem, pelo riso frouxo que fica lindo no seu rosto e esqueça tudo aquilo que pode dar errado. Torná-lo maravilhoso é sua escolha. Faça valer a pena.


9 comentários:

  1. "Mas percebi que nunca é tarde pra ter um dia bom. Quem faz o dia ser o melhor de sua vida é única e exclusivamente você." Que trecho lindo Malu! Anotei na minha agenda <3 Seus textos desde sempre são ótimos, você escreve tão bem!! Não sei se já perguntei, se não, acho que não fará mal, mas.. Tu pensa em escrever algum livro? Acredito que iria se sair muito bem nisso! E olha, estou com seu irmão! Leia Laranja Mecânica, é um daqueles livros que realmente vale a pena! :D
    Tenha uma ótima semana, beijoos!

    www.artigo2.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, Ray, muito muito obrigada pelo carinho! E publicar um livro é tipo, um dos meus maiores sonhos, espero poder realizá-lo! <3

      Excluir
  2. Malu, que texto mais lindo! Ontem eu te aconselhei a seguir a profissão de psicóloga, e tô vendo que você realmente leva jeito pra coisa, viu? Você tem uma habilidade linda com a escrita, e, se não bastasse, ainda passa uma calmaria em seus textos de autoajuda. Manda ele pra aquela amiga nossa, sabe? Acho que ela adorar receber! <3

    Bisou, bisou! ❤
    Blog Chez Anna
    Fan page

    ResponderExcluir
  3. Que texto inspirador!! Estou mesmo precisando disso...

    ResponderExcluir
  4. Só a gente pode fazer nossos dias valerem a pena. Esquecer aqui que te impeça de ser feliz e ir correr riscos. Temos é que fazer valer a pena.
    Beijos,

    http://www.umamineirasonhadora.com/

    ResponderExcluir
  5. Adorei o texto. Você escreve incrivelmente bem.

    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso top comentarista de janeiro. Você escolhe o livro que quer ganhar!

    ResponderExcluir
  6. Sabe Malu, hoje eu tento ao máximo sorrir independentemente do que eu passei, o passado tem que pertencer o passado.
    E quando eu levanto pela manhã me espreguiço dou um sorriso e agradeço por mais um dia!
    As escolhas são nossas, sofrer e esquecer de viver, ou ser feliz e viver resplandecentemente!

    Beijos
    http://www.babimussi.com/

    ResponderExcluir
  7. Ai, mds, to no chao!!!!!!!!!! Que lindooooo! *-*

    Debee

    ResponderExcluir