02/08/2015

Pra te deixar feliz



Pra mim, os bad days vêm com dois motivos: me fazer descobrir as coisas mais impossíveis no Netflix e me fazer escrever. Esses dias, em mais uma das minhas ondas de desânimo, eu comecei a pensar nas coisas que eu poderia fazer pra mudar isso, seja "em forma" de livro, música, filme... E com isso, me veio a ideia de compartilhar com vocês algumas coisinhas que realmente me deixam mais pra cima: um livro, uma música, um filme, um blog e um perfil no instagram, todos tendo sucesso na missão de deixar meu dia um pouco mais iluminado. Espero que gostem do post! Quem sabe eles não mudam teu dia também?

Livro: Extraordinário



Já fiz resenha dele aqui no blog, mas sempre acho válido compartilhá-lo, ainda mais se você é um leitor novo aqui, hehe. O livro conta a história do Auggie, um garoto que, por um problema genético, possui uma deformidade na face. E agora, ele está pra enfrentar o seu maior desafio: ir para um colégio "de verdade". O garoto, através do seu ponto de vista e das coisas que são contadas pelos outros personagens ao longo do livro, consegue mostrar que há um jeito muito mais leve de se ver a vida, e que a gentileza e a positividade devem prevalecer sempre. Sou apaixonada por essa história!

Música: Who I Am - Nick Jonas and The Administration



Sou fã desse menino e dos irmãos dele desde que me entendo por gente, haha! A sensibilidade do Nick sempre me matava, e mesmo quando os JoBros deram um tempo, eu não deixei de acompanhá-los. Essa música significa o mundo pra mim. De um jeito muito simples, ele fala sobre ser amado do jeito que você é, sobre ter medo de não ser aceito, sobre momentos de loucura que podem tomar a cabeça quando deixa esse sentimento vencer. E o clipe completa toda essa atmosfera. Assista e só assim você entenderá o que eu tô dizendo. Pode chorar, eu deixo viu?

Filme: Um Lugar Chamado Notting Hill



Ah, esse é clássico dos clássicos! Hugh Grant interpreta Will, o dono de uma livraria que, por obra do destino, acaba encontrando Anna Scott (Julia Roberts), uma atriz com a fama cada vez mais crescente. Conforme vão arranjando um jeito de se encontrarem, você acompanha a expectativa, o medo, mas acima de tudo, o amor crescendo entre eles. É um filme leve, delicado e encantador. Tá esperando o que pra assistir?




Embora eu tenha me afastado um pouco da blogsfera por diversas razões, ainda há blogueiras que me fazem parar o que estou fazendo pra ler o post novo ou ver o vídeo mais recente. A minha blogueira favorita de todas é a Karol Pinheiro: nunca vi pessoa mais inspiradora que ela, sério! A Karol é o tipo de pessoa que eu quero ser quando crescer e quero ter sempre por perto; seus posts são incríveis e seu canal no youtube só me faz ter cada vez mais certeza de que ela é daquele jeitinho na vida real, e que todo o sucesso que ela tem é o fruto de tamanho esforço, dedicação e amor em tudo que ela faz. Por um mundo com mais pessoas assim <3

Perfil no Instagram: @coisasboasacontecem



Eu peguei mania de salvar frases e expressões motivadoras e/ou fofinhas no meu celular, então quando vi esse instagram, foi amor à primeira vista. Nele, frases motivacionais são postadas, e sempre que as vejo, percebo que combinam certinho com o que eu tô vivendo. Só de ler o que postam, confesso que fico mais feliz. A positividade e a felicidade estão nos lugares mais simples!
Bom gente, esse foi o post de hoje! Espero que eu tenha conseguido mudar o ânimo de vocês, pelo menos por um momento! E vocês, o que fazem quando estão pra baixo? Compartilha aqui nos comentários!

22/07/2015

Eu fui: Virada Cultural 2015



Dia desses, limpando as fotos do celular, eu vi quanta coisa legal aconteceu comigo e eu não compartilhei aqui no blog. Fiquei naquele dilema "posto ou não posto" de sempre, mas tomei logo a decisão e vou liberar alguns posts contando sobre os lugares que eu fui, os filmes que eu assisti e tudo o que eu associei e adquiri nesse tempo, okay? E pra começar essa "série" de posts do melhor jeito possível, resolvi escrever sobre a Virada Cultural 2015 daqui de São Paulo.

No dia 21 de Junho (domingo), acordei por volta das 8h30 pra pegar carona com a minha tia até o metrô. Junto com ela, minha mãe e meu irmão, descemos na estação da Luz e andamos até a Sala São Paulo, o lugar da apresentação de diversas orquestras. Cheguei pouco depois das 10h e já tinha fila, porém andou super rápido e consegui pegar os ingressos.



Eu nunca tinha ido na Sala São Paulo, e confesso que fiquei boquiaberta com o lugar, sério! É maravilhoso, de tirar o fôlego. Não sei bem exatamente descrevê-lo; era rico em detalhes e carregava muita história em cada canto que eu ia.

Esperei o horário da apresentação da Orquestra chegar mais perto, e então entrei. Não fazia ideia de onde eu iria sentar, e pra minha surpresa, fiquei colada ao "palco". Não demorou muito para que as instruções do lugar fossem dada, os músicos entrassem, seguidos do maestro, e a primeira composição começasse. Meu coração acompanhava cada um dos números apresentados, era bem difícil conter a emoção. Saí de lá totalmente encantada, e com uma experiência que vai permanecer comigo por muito tempo.

A Sala São Paulo fica na Praça Júlio Prestes, local onde estava montado o palco em que Nando Reis iria se apresentar. Quando cheguei lá, o show já havia começado e tinha realmente muita gente. Eu fiquei do lado do palco, mas consegui vê-lo, e ouvi umas cinco músicas antes de sair do meio do pessoal (até aquele momento, eu estava sendo esmagada). Me afastei do palco, mas ainda consegui ouvir o show inteiro. E o melhor de tudo: lá perto tinha alguns foodtrucks, então eu fui comer enquanto ouvia "Por Onde Andei". Foi tão bom!



Devia ser por volta das 14h quando eu fui para o Metrô pra voltar pra casa. Já estava morta, mas ainda tinha show d'O Terno, pertinho de casa! Dessa vez fui sozinha; minha mãe me deixou na praça perto do Centro Cultural e eu andei até o local. Peguei o ingresso e entrei na fila que estava curta.

Já havia passado uns 10 minutos do horário marcado para o início do show e nada de nos deixarem entrar. Foi então que eu olhei para o lado e vi a banda passando bem pertinho de mim, foi tão legal haha! Por volta das 17h30 (meia hora depois do horário previsto), abriram o teatro e eu entrei, sentando na segunda fileira, bem pertinho do palco.

Logo a banda entrou e eu aproveitei do início ao fim. Eu não conhecia alguma das músicas, mas sempre me surpreendia com tudo que eu ouvia. Por estarem poucas pessoas, me senti bem próxima da banda, e isso fez toda diferença. Na última música, "Zé, Assassino Compulsivo", todo mundo levantou e foi pra pertinho do palco.  E esse foi o melhor jeito de fechar o dia!
E vocês, foram na Virada Cultural desse ano? Se sim, o que acharam? Já tiveram um dia repleto de experiências novas? Conta aí nos comentários!

15/07/2015

Sobre 15 anos e pessoas especiais

Jade's Virtual Dream | via Tumblr

Há dois meses, completei 15 anos de vida. Pra quem não sabe, eu amo fazer aniversário. Amo mesmo. Aquela fase de amar qualquer data comemorativa por conta dos presentes já passou, mas a "magia" do meu cinco de maio continua comigo, mesmo eu crescendo e tendo outras prioridades na cabeça.

Completar uma década e meia de vida me trouxe aquele famoso dilema que muitas meninas enfrentam, o tal do festa ou viagem. Nunca fui uma pessoa fã de ser o centro das atenções, e nem possuía condições pra bancar uma festa gigantesca dessas; além do mais, viajar é um dos meus maiores sonhos. A escolha estava clara.

Eu planejei junto com o meu irmão um intercâmbio para as férias de julho, na Inglaterra, em uma dessas cidades pequenas que fazem você se sentir a verdadeira moradora do lugar. Acontece que nem tudo está no nosso controle. Alguns planos nossos não dão certo e a gente tem que lidar com isso, é fato. Não seria dessa vez que eu iria viajar. Claro que eu fiquei chateada, mas acredito que tudo vem no tempo certo, e estou fazendo um bom uso das minhas férias aqui em São Paulo mesmo haha.

Já que a primeira opção estava fora da jogada, resolvi pensar na tal festa. Não seria nada daquelas mega festas de debutante, mas eu queria passar esse tempo com as minhas amigas, tanto as do colégio antigo quanto as do meu colégio atual.

Untitled

E parece que, foi só eu ter essa ideia na cabeça, pra uma sucessão de fatos (com as amigas, sem as amigas e comigo mesma) acontecer e eu acabar sem qualquer opção pra comemorar o meu aniversário, a menos de três semanas da data.

Aí rola todo aquele drama que vocês já devem imaginar que eu faço, né. Foi então que a ideia mais óbvia, porém mais maravilhosa apareceu: e se eu esquecesse um pouco todo esse lance de querer fazer algo gigantesco e passar essa data com as pessoas que estavam comigo antes de toda a confusão começar? E então, no dia 09 de maio, eu saí pra jantar em uma cantina italiana no Brás, um bairro daqui de São Paulo. Olha: foi maravilhoso! Estava apenas minha família mesmo, nada de muito elaborado, mas com certeza foi uma noite memorável (não só pela comida haha). Passar uma data tão especial ao lado das pessoas que me amam foi algo realmente marcante, e eu com certeza não poderia pedir por algo melhor que isso.

Sabe, a gente costuma achar que, pra celebrarmos uma data especial, precisamos de coisas grandiosas e milhares de pessoas à nossa volta. Mas no fim de tudo, são as pessoas que realmente fazem com que esse dia seja incrível - não só esse, como todos os dias da nossa vida. Por isso, se por algum motivo, seus planos de fazer algo grandioso em um dia de comemoração não deram certo, não desanime: passe esse tempo com as pessoas que você ama. Pode ser pra sair pro shopping, passar a tarde no parque ou simplesmente cantar parabéns depois de uma mega maratona de Friends. Qualquer momento ao lado de pessoas tão incríveis como você é sempre especial.

E não há festa ou viagem no mundo que os substitua.
Esse foi o post de hoje! Espero que tenham gostado! Logo depois do meu aniversário, eu escrevi a base desse post, mas nunca consegui deixá-lo do jeito que eu queria, até que a inspiração chegou e eu consegui terminar haha! E vocês, já viveram uma situação parecida? Como vocês costumam passar os seus aniversários? Comentem! 

10/07/2015

Noventa e cinco



Se existe um troféu para a pessoa mais atrapalhada do mundo, eu com certeza ganharia.

Depois dessa frase dramática, só me resta dizer: como eu estava sentindo falta de postar. Sério gente, vocês não medem! Já fazem 95 dias desde que o último post foi publicado aqui, e com eles, pude fazer muito mais coisa do que eu imaginava ser possível. Os motivos de ausência são os mesmos: falta de tempo (ou a falta de administração dele, ainda não sei), falta de inspiração, e a preguiça básica de sempre. Poderia escrever mais um texto sobre tudo isso, mas preferi fazer um resumo de tudo aquilo de mais sensacional que aconteceu nesses três meses pra vocês. Espero que gostem!



Em abril, tive dois momentos marcantes: um deles foi pintar o meu cabelo! Pois é, pra quem não sabe, eu já tive reflexos rosa (!!), feitos lá pro meio de janeiro. Depois desbotou, ficou meio ruivo, e aí a saudade bateu e resolvi fazer o mesmo, só que usando o tom vermelho. Confesso que demorei um pouco pra me acostumar, mas já tô sentindo falta daquela maluquice que eu fiz haha!

Nesse mês, eu dei uma de turista por São Paulo - e por lugares pertinho do meu colégio! - pra fazer dois trabalhos pra aula de Fotografia, sendo um deles o relatório de uma exposição da Pinacoteca e outro, a revelação das fotos da Pinhole (assunto pra outro post!). Esse foi um daqueles momentos em que eu me vi totalmente apaixonada: pela cidade, pelo curso e por todas as oportunidades que estão surgindo no meu caminho.



Ah, maio! Foi época do meu aniversário, e da primeira festa com as minhas amigas do novo colégio. Pra comemorar meus 15 anos, acabei saindo apenas com a minha família, e olha: foi maravilhoso! A gente marcou de jantar em uma tradicional cantina italiana, e quase saí rolando de tanto gnocchi que comi, socorro! Ganhei alguns presentes - um mais especial que o outro -, mas só de receber tanto amor e carinho das pessoas que me veem todos os dias, de mês em mês, ou que apesar da distância, continuam falando comigo, foi o que realmente contou no fim do dia.

E não muito tempo depois, teve festa de 15 da minha amiga do colégio. Gente, não lembro de uma noite onde eu ri e dancei tanto! Embora eu conhecesse poucas pessoas além da aniversariante, não teve nenhuma desculpa pra eu não passar a festa inteira conversando, depois cantando e dançando as músicas mais aleatórias que tocavam. Aproveitei demais <3



Aí junho chegou, e com ele, além das provas e entregas de trabalho, veio um dos meus eventos favoritos: a Festa Junina! Fui à festa do meu colégio antigo e a do Liceu, e nas duas encontrei gente querida e me empanturrei de comida (fala sério, comida de festa junina é um negócio maravilhoso!). Aí, no penúltimo fim de semana do mês, teve Virada Cultural, com direito a Orquestra Sinfônica de São Paulo, showzinho do Nando Reis e no fim da tarde, O Terno, tudo de graça! Tem como não amar essa cidade?
O post ficou bem longuinho, mas eu queria resumir esses três meses pra vocês! Houve idas ao cinema, visitas a museus que nunca fui, passeios pela Paulista, mas esses foram meus eventos favoritos! Espero que tenham gostado do post! "Aquela Malu" tá de volta, e agora é pra ficar!

05/04/2015

Relatos de uma blogueira (quase) perdida

♥♡

E bem naquela semana em que eu tenho tudo separado pra começar a escrever bastante pro blog, eis que me aparece um monte de trabalho em grupo pra acabar com tudo.

Pois é, gente. Quem é aquela pessoa que aparece de mês em mês aqui, faz um resumo do que aconteceu, posta umas duas vezes, depois some, aí pede desculpas e repete o ciclo? Então, a blogueira que vos escreve fez isso. De novo. Não pensem que eu esqueci do blog, longe disso! Comentei demais com o pessoal do colégio novo sobre ele, e tô recebendo tanto apoio! Isso é muito importante pra mim!

Aliás, esse é o principal motivo da minha falta de posts aqui: o colégio técnico. Pra quem não sabe, eu estou cursando Multimídia junto com o Ensino Médio. É período integral, longe de casa, e eu dou o meu máximo pra me manter lá, afinal, não é só questão de passar de ano, tenho que manter minha bolsa lá. O último post, lá do começo de fevereiro, foi quando eu tinha acabado de entrar no Liceu, tava aquele clima de coisa nova, mil maravilhas não é? Aí eu fui tendo que me adaptar às horas restritas de sono, às lições trabalhosas e às matérias que eu nunca havia tido contato antes. Até aí, tudo bem. Agora junta com instruções pra mais de dez trabalhos em grupo, semana de provas, duas semanas só pra apresentação de todos os trabalhos - o que culminava em um trabalho fracassado e dois sábados indo pra outra parte da cidade só pra juntar todas as pesquisas - e a insegurança somada à falta de sono. Pois então: essa fui eu durante esses meses.

E confesso: meu emocional também tava uma pilha de cacos. Não que eu tenha vivenciado alguma coisa impactante, mas tudo aconteceu ao mesmo tempo, sabe? Algumas coisas que eu prefiro não citar, junto com a vivência em um colégio novo, a insegurança de não saber se vai conseguir passar e a saudade do ano passado. Sim. Eu, que falava tanto em querer mudar, no fim, não havia percebido que eu era plenamente feliz ano passado. Eu tinha todas as minhas amigas juntas, o clima em casa estava tranquilo, eu fui a shows, eu li tudo o que queria, eu me sentia confiante, eu sabia onde era o meu lugar. Agora, eu só quero chegar em casa pra dormir, mal abri um livro que eu queria, não sei mais do que eu sou capaz e todos os meus planos de fazer alguma coisa de diferente esse ano estão se desmanchando aos poucos. E na maior parte do tempo, eu lido com isso sozinha.

Eu nem estou escrevendo mais, acreditam? Parece que eu perdi a fé em mim mesma. Parece que eu voltei a existir, e não estou vivendo mais. Eu já não sou uma pessoa com muitas certezas, e aí a vida vem e derruba aquelas que eu já tinha. Mas, no fundo, eu sei que é só questão de adaptação. Aprender a nadar com a correnteza. Tirar o melhor de tudo que eu tô lidando. Me entender melhor, e tudo o que eu tô sentindo. Correr atrás do que eu quero, mesmo quando todos dizem o contrário. E é isso que eu quero com o blog. Por isso eu nem pensei em hiatus, porque só de pensar em deixar aqui com um aviso de que está parado e que eu não sei quando vou voltar, me dá um aperto. Esse espaço é uma parte minha. É algo que eu conquistei, e mesmo que pouca gente leia, eu não vou abrir mão.

Não quero encerrar esse texto com um pedido melancólico de desculpas ou mais uma promessa de que eu vou tentar manter aqui atualizado. Quero agradecer a todo mundo que me pergunta do blog, e que, de algum jeito, está me apoiando nessa minha nova etapa, e a todo mundo que me "cobra" pra voltar pra cá. Vocês são incríveis, e eu não quero (e nem vou) esconder algo que situe vocês no que tá acontecendo comigo. Afinal, o Aquela Malu fala, acima de tudo, sobre mudanças, não é mesmo? E essa é só mais uma das muitas que enfrento e enfrentarei ao longo do tempo. E espero que vocês possam estar ao meu lado. Porque o blog vai continuar aqui, aberto pra quem quiser!

Então, é isso. Até o próximo post!
Ah, e pra quem quer saber: eu tô amando o curso! É tudo tão legal! Conforme eu vou fazendo trabalhos mais práticos, eu vou compartilhando aqui! E tô sempre anotando ideias pra posts. o que eu mais quero é tempo pra colocá-las na tela, espero que entendam!

01/02/2015

Inspiração: A mudança radical no cabelo de 5 artistas

Imagem de hair and pale
Adivinha quem acabou de ter a primeira semana de aula no colégio técnico? \o/ Pois é, mal teve matéria, mas rolou tanta coisas que eu nem conseguia ficar de olho aberto quando chegava em casa, haha! Agora, com o meu horário pronto, tô me programando pra fazer tudo o que eu quero, e claro, postar cada ver mais no blog!
Nunca fui uma pessoa muito adepta a mudanças. Ficar no meu cantinho, com tudo aquilo que eu estava acostumada, sempre pareceu a melhor opção. Mas os anos foram passando, e eu percebi que nunca sairia do lugar se não saísse da zona de conforto. Criei um novo blog. Comprei roupas novas. E cortei o cabelo. Tá, vocês já devem estar cansados de ler sobre isso, mas eu gostei tanto da mudança, que por mim, falaria dela pra sempre, haha! A verdade é que eu sempre quis o cabelo curtinho, mas não tinha coragem e não via muita gente conhecida com o cabelo assim, então achava que não ficaria bom. Mas nos últimos tempos, 5 mulheres passaram a tesoura e me mostraram que é possível sim, abrir mão do cabelo gigante e continuar lindíssima! E foi graças a elas que eu fiz minha parte também. Quer ver quais são?



A Emma Watson foi a primeira artista que eu acompanho a fazer uma mudança dessas no cabelo. Eu babava no cabelón dela, e quando vi que ela cortou, acabei apaixonando ainda mais na atriz. Emma não cortou o cabelo por impulso, era algo planejado por ela há bastante tempo. Depois de fazê-lo, ela conta que se sentiu mais livre e ~poderosa~. Lindíssima, como sempre!



Shailene Woodley era um nome que eu não conhecia até a adaptação cinematográfica de A Culpa É Das Estrelas. Quando comecei a pesquisar sobre a artista, na época que liberaram o elenco, e depois de um tempo, vi que ela tinha passado a tesoura pra dar a vida a Hazel e fazer parte da campanha de doação de cabelo para a instituição Children With Hair Loss, fiquei maravilhada pelo gesto dela e o quanto ela ficou bonita com o novo corte. E ainda inspirou diversas pessoas a seguirem seus passos! Palmas pra Shailene, porque ela merece <3



Jennifer Lawrence também não fica de fora dessa lista. Nossa querida Katniss nas telonas também fez uma mudança radical pra se livrar de todo o cabelo danificado. Ela conta que, depois de tanta química e secador usados no cabelo, ela estava cansada de usá-lo preso, e resolveu acabar com o problema. Apaixonada no corte!



Todos já sabem da mudança da Miley Cyrus, mas seria impossível falar sobre corte de cabelo sem citá-la. A estrela da Disney queria se desprender de toda a sua figura ligada ao público infantil, além de matar sua vontade de ter cabelo curto. O que pouca gente sabe é que todo o cabelo dela foi doado pra uma instituição de câncer. Linda de todas as formas!



E por último, mas não menos importante, minha maior inspiração pra ter entrado no time das garotas de cabelo curto: Anne Hathaway. A mudança dela, na minha opinião, foi a mais desafiadora: seu cabelo foi cortado nas gravações de Lés Miserables, pra fazer com que a cena ficasse mais real e despertasse uma emoção mais profunda na atriz. O corte, claro, foi arrumado por um cabeleireiro, mas Anne ficou inconsolável quando viu seu cabelo curto. Não tem motivo pra isso, Anne! Ficou ainda mais maravilhosa!
Essas são minhas quatro inspirações quando se fala em cabelo curtinho! E vocês, tem algum corte ou cor que vocês desejam e se inspiram em artistas para tomar coragem? Conta aí!

23/01/2015

Resumo do Mês: Dezembro

• mine kate spade american-prep •

O painel do Blogger meio que ficou inativo durante todo o mês de Dezembro, mas isso não significa que nada de bom - ou ruim - tenha acontecido durante esse meu tempo offline. Na verdade, acho que dezembro compensou por todos aqueles meses que eu pedi por uma vida mais ~movimentada~. Durante todo esse mês, coisas super legais aconteceram, que merecem ser registradas, nem que seja tudo num post, hehe. Algumas delas foram bem simples, como Natal, Ano Novo e encontro de amigas do colégio, por isso não tenho nada registrado, mas tenho bastante história pra contar. Ficou curioso? Segue o post!


No dia 29 de novembro (é o finalzinho do mês anterior, mas vale, haha), minha mãe queria que eu relaxasse pra prova do colégio técnico, então ela resolveu me levar, junto com a minha irmã, pra assistir ao espetáculo O Rei Leão no Teatro Renault. Eu imaginava que ia ser bom, mas não que eu sairia de lá em prantos, depois de tanto me emocionar. Não sou dessas de externar o que eu sinto com uma música ou um filme, mas não consegui me conter com a peça. Chorei tanto em "O Ciclo da Vida" que achei que iria desidratar, haha! Uma experiência pra vida toda!

Aí, dezembro realmente chegou e eu já estava com a ideia de que iria passar esse mês inteiro em casa. Engano meu! No dia 06, minha irmã me acordou cedo dizendo que a amiga dela tinha ganhado ingressos pra Comic-Con Experience, e tinha dois sobrando! De começo, aquela preguiça de início de férias bateu, mas minha mãe me convenceu a levantar. Ainda bem, viu! O lugar era incrível! Pirei com os cosplays, amei os stands e o mais legal de tudo: conheci uma baita galera da internet! O Luba gravou um vídeo pra mim no meu celular, conversei com os Irmãos Piologo e pude agradecer ao Felipe Castanhari por ter criado um canal tão maravilhoso! Guardo esse dia com muito carinho <3



Com uma semana marcada por ansiedade pelo resultado do colégio técnico (que, graças a Deus, foi muito positivo!) e três colações de grau em lugares totalmente distintos, eu precisava me distrair de algum jeito. Foi aí que eu me lembrei do baile de formatura da minha amiga. Eu vivia na dúvida se eu iria ou não, mas tomei coragem, comprei meu vestido, e fui junto com outra amiga do colégio. Não me lembro de ter me divertido tanto! Dancei demais, conversei com muita gente e pude esquecer dos meus problemas por uma noite. Quero um ano com mais eventos assim, por favor!

E então, a última semana do ano veio com tudo. Sempre bate aquele arrependimento por coisas não feitas e palavras não ditas, e o medo do que pode vir a seguir me encobriu. Uma válvula de escape era necessária. A convite da minha tia, passei dois dias na praia, sem internet, sem os barulhos da cidade, só aquele clima gostoso do litoral. Pude relaxar e renovar as energias pra esse ano com um banho de mar maravilhoso (seguido de um corpo vermelho e torrado por não ter passado o protetor vezes o bastante). Voltei pra São Paulo pronta pra enfrentar o que viria a seguir.
Então é isso, gente! O post ficou quilométrico, mas espero que tenham gostado! E o que aconteceu de bom pra vocês no fim de 2014? Viajaram? Conheceram alguém legal? Foram pra um lugar diferente? Comentem, vou adorar saber! Ah, e se quiserem posts de resumo mensais, é só deixar aqui nos comentários!

11/01/2015

Riso frouxo


Levantei da cama. Como de costume, enxaguei o rosto com a água gelada da torneira. Ao levantar a cabeça, dei de cara com o espelho. Meu reflexo. Ali estava a minha projeção, pelo menos por fora. A cara lavada, as olheiras aparentes. Nada que eu não estivesse acostumada a ver. Mas eu precisava mudar algo. Talvez o cabelo preso, um batom rosa. Não. Em vez disso, apenas sorri. Um sorriso contagiante, de orelha a orelha, sincero. Lindo.

Entrei no quarto, e abri a janela. A luz do sol, ainda fraca, já entrava pelo meu quarto. Tirei tudo da minha frente que pudesse prejudicar meu campo de visão. Roupas largadas, cobertor embolado. Um lugar limpo me transmitia conforto.

Um banho quente e uma seleção de músicas animadas. Foi tudo o que eu precisei pra que eu me sentisse bem o suficiente e dançasse no quarto. A porta estava escancarada, como um convite aberto para qualquer um que quisesse entrar. Permiti-me sentir cada traço do meu corpo, mover-me com cada nota da canção que inundava o meu quarto de boas vibrações. Não pensei em como me achariam idiota se me vissem nesse estado, nem em como uma terça-feira geralmente não começa desse jeito. Estava leve, plena, solta. Estava tão eu.

Como qualquer boa playlist, encerrou no tempo perfeito. Então, vesti aquela saia longa maravilhosa que eu comprei de uma hippie simpática em uma dessas feiras que me fazem perder a noção do tempo. Normalmente, eu a deixaria no fundo do armário, com receio de ouvir - mais uma vez - aquele discurso monótono de "você não combina com esse tipo de roupa" ou "essa cor não te valoriza" e até mesmo "ficaria melhor em outra pessoa". Dane-se. Hoje, eu me sinto linda.

Saio de casa com o celular e o fone de ouvido devidamente guardados na bolsa, e com o dinheiro contado pra comprar aquele sonho fresquinho. Aceno para a velhinha do outro lado da rua, dou "bom dia" para o padeiro e sorrio com a menina simpática do caixa. Ao pôr os pés para fora da padaria, percebo que não tenho um rumo certo. Dou risada com isso.

Sabe, por muitas manhãs eu me permiti levar pelos bad days que eu enfrentava vez ou outra. Mas percebi que nunca é tarde pra ter um dia bom. Quem faz o dia ser o melhor de sua vida é única e exclusivamente você. Por isso, sorria, dance e aproveite a luz do sol que te convida pra mais um dia. Deixe-se levar por aquilo que te faz bem, pelo riso frouxo que fica lindo no seu rosto e esqueça tudo aquilo que pode dar errado. Torná-lo maravilhoso é sua escolha. Faça valer a pena.


05/01/2015

365



Terra para Maria Luísa. 2015 chamando.

E um novo ano se inicia. Sou uma pessoa que leva datas muito a sério - e isso é refletido na minha maneira de celebrá-las. O Ano Novo é certamente minha data favorita porque ele desperta em mim um sentimento que é espantado ao longo do ano por diversas vezes, seja preguiça, desgaste emocional ou bloqueios criativos: a motivação. Ter-me a disposição 365 dias para fazer da minha vida algo que eu me orgulhe acende uma luz que me faz acreditar que tudo vai ser diferente. Não porque os algarismos mudaram, porque virou-se o calendário. Mas sim porque eu quero que seja diferente. Isso não quer dizer que ele supere ou acabe com minhas expectativas, afinal, há sonhos e planos que não dependem apenas de mim para acontecer. Apenas significa que estou com um livro em branco, uma página sendo preenchida de cada vez, pronta para o que der e vier. O que me faz acreditar que isso será possível é justamente o meu ano de 2014. Muitas coisas boas aconteceram, outras nem tanto, mas aprendi e cresci muito nesse tempo, em aspectos que eu nem imaginava que podiam ser alcançados.

Concluí o nono ano no mesmo colégio em que aprendi a escrever. Aquele sentimento típico de fim de novembro, que acompanha o maior número de reclamações, resmungos e "eu-quero-sair-logo-daqui" que alguém é capaz de dizer não apareceu. A respiração profunda, típica do cansaço foi substituída por soluços baixos entre abraços de amigos. Pois é, estou deixando a minha turma depois de nove anos, com a certeza de que nosso típico encontro no pátio, depois de dois meses viajando, descansando ou simplesmente dormindo mais do que o necessário não acontecerá. Agora, uma nova etapa começa: estarei dando o meu primeiro passo no ensino médio, e o meu primeiro passo no mercado de trabalho. Como? Passei no curso técnico em quinto lugar! Daqui pouco tempo, estarei tendo minha primeira aula de muitas que me formarão uma técnica em Multimídia.

Aproximei-me de pessoas a quilômetros de distância, e desapeguei de pessoas com anos de história do meu lado. Não guardo mágoas, não estou com o coração pesado. Apenas levo comigo pessoas que realmente mudam meu dia com um sorriso, uma palavra ou uma mensagem aleatória no meio da madrugada.

Deixei o cabelo crescer. E cortei mais curto do que nunca. 25 cm de cabelo serão doados para alguém que precisa mais do que eu. Estou bem com o meu cabelo, meu tom de pele, o formato do meu corpo, o meu sorriso metálico (não por muito tempo!). Aprendi a me aceitar como pessoa. Não sou nada perfeita, mas sim única. Não há ninguém como eu no mundo - e nem como você, acredite! Por isso, vibro com minhas vitórias e aprendo com os meus erros. Não me cobro tanto, sorrio mais, estou leve. O tempo fica nublado vez ou outra, mas em vez de jogar a toalha logo no primeiro trovão, estou esperando. Respirando fundo, fazendo o possível para o tempo ruim passar. E se nada der certo, estou dançando na chuva. Procuro a luz do sol em cada dia assim. Nada é tão ruim que não tenha algo pra ser tirado como aprendizado. E tudo na vida passa. 

Não cumpri minha meta de filmes nem de livros. Mas dancei no baile de formatura até não sentir os pés. Sorri. Dei gargalhadas. Chorei. Chorei escondido, chorei com mãe, chorei com amiga. Escrevi. Completei textos. Deixei frases em aberto. Comprei roupas. Comprei livros. Comprei um celular. Conquistei amigas. Conquistei melhores amigas. Encontrei gente que admirava. Ouvi minhas músicas favoritas ao vivo. Fui a um festival de música. Fui a um festival de cores. Criei metas. Arquitetei sonhos. Caí. Pensei em desistir. Encontrei força em mim. Encontrei força em Deus. Agradeci.

Ballons. | via Tumblr


E hoje, dia 05 de janeiro, uma das minhas principais metas do ano passado completa um ano de existência. O blog que surgiu como um refúgio foi ora priorizado ora deixado de lado. Mas nunca desisti daqui. Agradeço por esse ano de comentários, visitas, indicações, realizações de sonhos. Posso não ter tudo registrado aqui, mas diversos momentos especiais encontram-se em forma de posts. Sou extremamente grata por estar conquistando meu espaço aqui e saber que tem gente que se identifica e torce pra que dê certo. O blog encontra-se parado, mas estou organizando meu tempo e traçando metas para o blog. Novos textos, novas fotos, talvez um novo layout. Tudo que contribua para que esse ano seja especial para o blog, especial pra mim e principalmente, especial pra vocês. Feliz 2015 e feliz aniversário, Aquela Malu <3
Espero que esse ano seja repleto de paz, amor, saúde e sucesso na vida de cada um de vocês! Corram atrás dos seus sonhos, não desistam, porque nada é conseguido sem muito trabalho duro! Um beijo, que 2015 seja o nosso ano!